Publicidade

economia

Procura por emprego na pandemia cresce 12% na região de Campinas

Estudo mostra também aumento dos chamados trabalhadores subutilizados, que vivem de bicos ou "freelancers"

| ACidadeON Campinas -

Aumenta número de trabalhadores que vivem de bicos (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 O número de pessoas dispostas a procurar emprego durante a pandemia aumentou em mais de 12% na RMC (Região Metropolitana de Campinas), de acordo com um estudo do Observatório da PUC-Campinas. Em 2020, eram 216.466 pessoas. Neste ano, o número saltou para 243.669. 

O levantamento indica também o aumento de 53,8% do grupo dos chamados trabalhadores subutilizados, que vivem de bicos ou que são profissionais "freelancers" (autônomos com trabalhos temporários). O total saltou de 66.743 pessoas no ano passado para 102.692 em 2021.

Mateus Oliveira é mecânico e está em busca de um novo emprego, mas conta que está procurando oportunidades em qualquer área. "Eu sou mecânico de carro, mas estou mandando currículos para todas as áreas. Estou querendo trabalhar", disse o morador de Campinas. 

A vitrinista Gislaine Leite mora em Americana e conta que antes da pandemia trabalhava de segunda a sexta. Agora, a jornada acontece só duas vezes por semana. "Agora tenho só duas ou três vitrines por dia. Infelizmente, foi o que restou pra gente, adequando as vagas", contou ela.

A economista da universidade, Eliane Rosandiski, explica que a realidade desses moradores da região, que recebem por hora e têm jornada e salários menores, é causada justamente pela falta de vagas no mercado formal.

Além disso, segundo ela, a retomada do crescimento da economia ao longo dos últimos meses tem sido lenta e não está privilegiando o emprego com carteira assinada.

"Dentro da informalidade, o crescimento impõe um desafio maior, porque essas pessoas continuam com rendas baixas e subutilizadas na sua capacidade de trabalho", esclarece. (Com informações da EPTV Campinas)

Mais notícias


Publicidade