Aguarde...

Esportes

1º campeonato no Kartódromo de Paulínia completa 10 anos

O Fanatici Kart teve início em 2010 e se consolidou no San Marino por meio de um grupo de amigos apaixonados pelo esporte

| ACidadeON Campinas

Fanatici Kart começou a ser disputado há dez anos (Foto: Divulgação) 

O primeiro campeonato realizado no Kartódromo San Marino, em Paulínia, completou 10 anos. O Fanatici Kart teve início em 2010 e mas se consolidou no San Marino por meio de um grupo de amigos apaixonados pelo esporte, que utilizam karts próprios.

Helvecio Peluso, o "Biro", primeiro preparador a instalar sua equipe no San Marino, em outubro de 2011, conta que tudo começou entre amigos que pilotavam karts de aluguel.

"Eles resolveram andar de kart (próprio), muitos já tinham corrido, mas estavam parados . Como foi aumentando o número de pilotos e resolvemos fazer três corridas, tipo um torneio de verão, para ver como seria, e daí em diante não parou mais, graças a Deus", explica Biro.

As provas do Fanatici Kart aconteciam em outras pistas, antes da inauguração do Kartódromo San Marino, conforme o piloto Gino Tincani, outro idealizador do Fanatici e um dos mais antigos pilotos do grupo.

"O San Marino é a nossa casa desde a inauguração. Antes, corríamos em três ou quatro pistas, hoje, fazemos as 12 etapas em Paulínia. Temos total apoio de todos, desde a administração até o pessoal de pista, e nos sentimos totalmente acolhidos lá", ressalta.

Como atual organizador do campeonato, Tincani destaca que o Fanatici Kart é "muito disputado" e que possui custo bem acessível, se comparado a outros campeonatos.

"Começamos em 2010 com 12 pilotos e hoje estamos com 30. Estamos no décimo ano e crescendo a cada temporada, hoje temos até fila de espera, mas limitamos o grid a 30 pilotos", comemora.

São duas categorias, Master e Sprint, com 15 pilotos cada, competindo com motores 4T (tempos). A cada semestre, os três piores classificados da Master "descem" para a Sprint e os três melhores da Sprint ganham acento para competir na Master, esclarece Gino Tincani. "Isso dá uma dinâmica bem legal ao campeonato".