Publicidade

derbicampineiro

Guarani defende tabu de 4 anos sem perder para Ponte no Brinco

Nesses quatro anos, Guarani e Ponte Preta se enfrentaram dentro do Brinco de Ouro em cinco oportunidades

| ACidadeON Campinas -

  

Partida entre Guarani e Ponte no começo do ano. (Foto: Denny Cesare/Codigo 19/Arquivo)


Nos últimos anos, o Guarani tem levado a melhor contra a Ponte Preta quando o assunto é jogar no estádio Brinco de Ouro da Princesa. Já são quatro anos sem perder para a arquirrival em casa. Neste domingo, às 16h, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o tabu irá aumentar ou chegar ao fim. 

Nesses quatro anos, Guarani e Ponte Preta se enfrentaram dentro do Brinco de Ouro em cinco oportunidades, com dois empates e três vitórias do clube bugrinho, a última por 3 a 0 no Campeonato Paulista da atual temporada. 

A última vitória da Ponte Preta no Brinco de Ouro foi no dia 5 de maio de 2018, quando venceu por 3 a 2, em jogo disputado pelo Campeonato Brasileiro da Série B. 

Ainda pela competição, a Ponte precisará quebrar outro tabu. A equipe alvinegra não venceu os últimos três confrontos frente ao Guarani na Série B, com um empate e duas derrotas. A última vez foi que venceu foi em 2020, quando fez 2 a 0 no Moisés Lucarelli. 
  
Além disso tudo, a Ponte Preta quer se aproximar do Guarani no retrospecto geral. Os clubes já se enfrentaram 202 vezes na história, com 69 vitórias bugrinas, 66 empates e 66 triunfos alvinegros, além de um resultado desconhecido. 

A Ponte Preta chega ao dérbi na sétima colocação da Série B, com sete pontos. O Guarani tem quatro, no 17º lugar, mas, antes, enfrenta o Náutico nesta terça-feira, nos Aflitos. 

POR OUTRO LADO

Além de tentar ajudar sua equipe a aumentar o tabu em cima da Ponte Preta, Daniel Paulista poderá alcançar no domingo a marca de 59 jogos consecutivos no comando do clube bugrino. O último a conquistar tal feito foi o técnico Vadão, que faleceu em 2020, vítima de câncer. 

Daniel Paulista, até o momento, comandou o Guarani em 57 jogos e venceu 22 vezes. O treinador vinha ameaçado no cargo neste início de Série B, mas ganhou um novo fôlego após o triunfo contra o Criciúma por 1 a 0.

Mais notícias


Publicidade