Aguarde...

Lazer e Cultura

Sarau Viva Nordeste realiza sua oitava e última edição

A oitava edição do projeto terá como tema o Movimento Armorial Brasileiro

| ACidadeON Campinas

A oitava edição do projeto terá como tema o Movimento Armorial Brasileiro (Foto: Divulgação) 

No próximo dia 25 de setembro, a partir das 14h, o Sarau Viva Nordeste realiza sua oitava e última edição. O projeto contemplado pelo edital 14/19 do Proac, conta com a participação de diversos grupos culturais do Estado, dentre eles o Cordel Cantante, que, desde a primeira edição do evento, em junho, tem se reinventado para levar ao público, espetáculos de contação de histórias, música, teatro e poesia de cordel.

O grupo é formado pelos artistas Luciano Braga, Cleusa Santo, Dani Almeida, Edimaria e Tin Tin Alves. Todos tem em comum a paixão pela literatura de cordel.

"Temos um pouco mais de um ano de formação e ela aconteceu de uma forma muito natural. Todos nós escrevemos cordel e sempre que participávamos de eventos literários a forma cantante de falar os versos sempre chamava a atenção das pessoas. Por isso batizamos o grupo de Cordel Cantante", explica Dani Almeida, integrante do grupo e também apresentadora do Sarau Viva Nordeste.

A oitava edição do projeto terá como tema o Movimento Armorial Brasileiro, criado na década de 70 pelo escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Neste dia, o grupo Cordel Cantante apresentará esquetes teatrais autorais, todas escritas na métrica do cordel.

"Vamos explorar de forma teatral o universo mítico e fantástico de Suassuna que teve o cordel como grande referência em suas obras, assim como acontece com o nosso trabalho", explica Luciano Braga, professor, poeta, ator e membro do coletivo poético-musical.

Outras referências armoriais que o Cordel Cantante apresenta nesta edição do Viva Nordeste estão relacionadas ao circo mambembe e também ao romanceiro popular nordestino, por meio das histórias: "Ariano: sonhos alados nos tempos de meninice", um cordel sobre a infância de Ariano Suassuna, de autoria de Dani Almeida, além das comédias teatrais: "A luta de Esmeraldina pela Erupção do Vulcão", da poetisa Edimaria e "O dia em que a Compadecida Reconheceu a Profissão de Poeta", da cordelista e dramaturga Cleusa Santo.

"Cada apresentação nossa no Sarau Viva Nordeste tem sido um desafio, principalmente porque os espetáculos acontecem ao vivo e de forma online. A pandemia fez a gente adaptar tudo, menos a disposição do sentir. Acredito que conseguimos inovar de um jeito muito interessante fazendo do nosso quadradinho na tela, uma extensão do nosso espaço cênico. É desafiador, mas o retorno do público tem sido incrível", pontua Cleusa Santo.

Segundo a poetisa e cantora Edimaria, a preparação de um novo roteiro a cada sarau é outro desafio, mas ela garante que a dedicação do grupo a cada ensaio faz com que o resultado final seja sempre surpreendente.
"Ensaiamos virtualmente durante a semana, tendo sempre a preocupação de fazer um trabalho de pesquisa sobre as temáticas que apresentamos. Tudo isso nos leva a adentrar em novos conhecimentos e perceber juntos, qual a forma mais cativante de transmitir nossa arte para o público", detalha.

Tin Tin Alves, mestre em culturas populares, que também faz parte do grupo, avalia que um dos diferenciais do Cordel Cantante está em fugir dos estereótipos e também em levar o universo do Nordeste não como folclore, mas de uma forma autêntica e com muita informação.

"Cada um de nós é natural de uma região do Brasil, com vivências culturais bastante diversificadas e o nosso grupo representa estas várias manifestações de tradições tão presentes na história do nosso povo brasileiro", finaliza.

SERVIÇO


Cordel Cantante no Sarau Viva Nordeste
Quando: 25/09
Horário: 14h às 17h30
Os eventos ocorrem na página do Facebook e no canal do Youtube

Mais do ACidade ON