Publicidade

lazerecultura

Campinas terá oficina de Jongo neste sábado na Fazenda Roseira

Será a primeira oficina de Jongo do projeto Pisa na Tradição, na Casa de Cultura Fazenda Roseira

| ACidadeON Campinas -

Projeto Pisa na Tradição realiza oficina de jongo em Campinas (Foto: Divulgação)

 

A Comunidade Jongo Dito Ribeiro, de Campinas, realiza neste sábado (9) uma oficina gratuita de Jongo, uma dança de origem africana, na Casa de Cultura Fazenda Roseira.

As oficinas acontecem neste sábado, das 14h às 15h30, na Rua Domingos Haddad, 1, Residencial Parque da Fazenda. No dia 23 de outubro, o evento acontece no mesmo horário.

Segundo os organizadores, as mulheres devem levar saia para a oficina e será obrigatório o uso de máscara.

A comunidade que realiza a oficina consiste em jongueiros formados por um grupo de pessoas e familiares, que reconstitui a manifestação do Jongo em Campinas. O evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e é viabilizado pela lei Aldir Blanc.

"Nossa missão é reconstituir a tradição do jongo nos mais diversos espaços, para todas as pessoas de diferentes credos, etnias e idades, priorizando as comunidades e grupos que atuam no universo da cultura de matriz africana", disse a mestra Alessandra  Ribeiro. 

Mais informações pelo site (Clique aqui),

PROJETO PISA NA TRADIÇÃO

A Casa de Cultura Fazenda Roseira, onde acontecem as oficinas, trata-se de um casarão histórico do final do século XIX que se tornou um equipamento público em 2007. 

A Associação do Jongo Dito Ribeiro faz a gestão da casa desde 2008, articulando atividades culturais e educativas que tem como eixos a cultura, a história, a mitologia e o meio ambiente em uma perspectiva afro-brasileira. 

Os encontros da comunidade são realizados quinzenalmente no Projeto Pisa na Tradição: Vivência em Jongo na Casa de Cultura Fazenda Roseira. 

A atividade é aberta ao público e contribui na reconstituição através da memória de Benedito Ribeiro, de rodas com toque, canto e dança, com o objetivo de compartilhar e continuar com a cultura ancestral.

Mais notícias


Publicidade