Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Noticias

Pioneira, Campinas consolida vocação para ser inovadora

Relação da tecnologia com a cidade é antiga; lei municipal foi a primeira do país a dar isenção fiscal para startups

| ACidadeON/Campinas

CPqD concentra empresas da área de tecnologia em Campinas (Foto: Divulgação) 

Oficialmente, a capital nacional da inovação é Florianópolis (SC). A da tecnologia é São Carlos. Longe dos títulos formais, no entanto, Campinas consolida a cada ano sua vocação para o desenvolvimento de negócios ligados ao setor.

A ligação de Campinas com a inovação tecnológica remete há mais de um século. A cidade foi a terceira do mundo - e a segunda do Brasil - a adotar o então recém-nascido telefone fixo, em 1883. Naquela ocasião, 57 aparelhos foram instalados em diferentes serviços públicos e para alguns privilegiados membros da elite da época.

Hoje, a cidade é responsável por pelo menos 15% de toda a produção científica nacional, sendo o terceiro maior polo de pesquisa e desenvolvimento brasileiro.

Em 2014, Campinas também foi pioneira no País em uma importante medida para o desenvolvimento do setor. A lei de número 14.920 foi sancionada pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), dispondo sobre a concessão de incentivos fiscais para as chamadas startups - aquelas empresas jovens e de pequeno porte que desenvolvem projetos em pesquisas tecnológicas.

A lei estabelece isenção total do IPTU até o limite da área construída de 120 m2 ou do valor anual do imposto de 1.000 UFICs e redução da alíquota de ISSQN para 2% sobre a receita tributável de até 150 mil UFICs. Os pedidos de incentivos deverão ter a aprovação prévia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo.  



As startups enquadradas na lei são as que se dediquem às atividades relacionadas à prestação de serviços e provisão de bens como: serviços de e-mail, hospedagem e desenvolvimento de sites e blogs; comunicação pessoal, redes sociais, mecanismos de buscas, divulgação publicitária na internet; distribuição ou criação de aplicativos e software original por meio físico ou virtual para uso em computadores ou outros dispositivos eletrônicos móveis ou não.

Os benefícios poderão ser usufruídos pelo prazo de até três anos. Os requisitos são não ter débitos junto ao município, comprovar a inexistência de qualquer poluição ambiental, não utilizar o imóvel para outros fins que contrariem a concessão do benefício fiscal e não alienar o imóvel após obter os incentivos fiscais.

O segmento de startups é um dos mais promissores na área de alta tecnologia no Brasil. A Região Metropolitana de Campinas (RMC) abriga o segundo maior polo de software de São Paulo. O crescimento é especialmente vigoroso em novas tecnologias de informação e comunicação, setor que movimentou US$ 230 bilhões em 2012. O mercado brasileiro em TICs já é o quarto do mundo, atrás de EUA, China e Japão, segundo estudo recente da Fundação Seade.

INOVAÇÃO

Mas, afinal de contas, o que é inovação e quais os principais desafios do setor em Campinas? José Eduardo Azarite, presidente do Fórum Campinas, que organiza todos os anos o Inova Campinas, dá as respostas no vídeo abaixo.

SÉRIE

Inspirado pela reformulação de seu projeto gráfico, o ACidade ON inicia nesta segunda-feira (25) a publicação da série "Inovar é Preciso", que destaca projetos ligados à inovação. No total serão cinco reportagens, publicadas até a próxima sexta-feira (29).


Veja também