Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Política

Câmara autoriza Prefeitura a emprestar até R$ 300 milhões

Governo poderá tentar captar dinheiro para obras de infraestrutura e para quitar dívidas do BRT

| ACidadeON Campinas

Vereadores em sessão na Câmara de Campinas (Foto: Divulgação)

Os vereadores de Campinas aprovaram, na noite desta quarta-feira (13), o projeto de lei que autoriza a Prefeitura a tentar emprestar até R$ 300 milhões junto a instituições financeiras. O dinheiro, segundo o governo, será utilizado em obras de infraestrutura e no pagamento da contrapartida do BRT.

Nesta quarta, o projeto foi votado em segunda discussão. Foram 18 votos favoráveis e oito contrários. Carlão do PT (PT) se absteve de votar.

A proposta é cercada por polêmicas. A sessão da quarta-feira passada (6), quando foi feita a aprovação em primeira discussão, estava lotada de moradores de bairros que supostamente serão beneficiados com obras de pavimentação bancadas pelo valor emprestado.

A oposição é contra o projeto da forma como foi apresentado por considerar que os investimentos deveriam ter uma destinação definida. Um dos temores era que os recursos fossem usados no BRT - um projeto que já foi contratado e está em execução. "É uma forma de contrair uma dívida para saldar outra dívida", disse Gustavo Petta (PCdoB).

Na sessão passada, os vereadores da base do governo negaram que o dinheiro iria para o BRT. Na segunda-feira (11), em uma audiência pública que discutia o orçamento para o ano que vem, o secretário de Finanças Tarcísio Cintra disse que cerca de metade dos recursos serão de fato usados no BRT.

Na noite de hoje (13), o discurso da base mudou. Vereadores subiram à tribuna para dizer que a obra do BRT é "grandiosa" para justificar a aplicação dos recursos no projeto.  

Painel de votação do projeto (Foto: Cedida)

BOLA DE CRISTAL?

A oposição voltou a citar a fala do vereador Carmo Luiz (PSC), que na última segunda-feira (11) afirmou que a Prefeitura já tem o empréstimo acertado de R$ 200 milhões, e que busca mais R$ 100 milhões em outro banco. A declaração demonstraria que o empréstimo já foi negociado, mesmo sem o projeto ter sido aprovado, e sem a realização do chamamento público para a escolha da instituição bancária - o que é crime.

Carmo Luiz não compareceu à sessão de hoje.  

FORA DA PAUTA 

Outro projeto, que permitiria a motoristas de veículos de transporte por aplicativo a transitar em faixas exclusivas para ônibus, foi retirado da pauta a pedido de seu próprio autor, o vereador Juscelino da Barbarense (PP). Segundo ele, o projeto foi retirado para adequações jurídicas.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON