Renan Calheiros defende pré-candidatura de Lula e desacredita Simone Tebet Renan Calheiros defende pré-candidatura de Lula e desacredita Simone Tebet

Renan Calheiros defende pré-candidatura de Lula e desacredita Simone Tebet

Senador criticou quem insiste em 'forçar a barra com pretensões irreais', que seria rum recado para MDB

Senador Renan Calheiros (Foto: Pedro França/Agência Senado) 

 
Após a divulgação da pesquisa Datafolha na quinta-feira (23), o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi às redes sociais manifestar apoio à pré-candidatura do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e defender 'união pela democracia'.  

O parlamentar, que sempre foi próximo do petista, criticou quem insiste em 'forçar a barra com pretensões irreais'. A declaração é um recado para o MDB, que lançou a senadora Simone Tebet como pré-candidata ao Planalto.

'Datafolha confirma a nitidez do quadro eleitoral. Pra quem ainda tinha dúvida, a polarização passou de evidente a gritante. A vantagem consolidada de Lula aponta para decisão em 1º turno. Erra quem insiste em forçar a barra com pretensões irreais. União pela democracia já', publicou o senador. 

LEIA TAMBÉM 
Operação contra fraudes em multas cumpre ação em Campinas
 
Dor nas costas: estudo de Campinas aponta que 59% sofrem com o problema

Segundo o levantamento, Simone Tebet tem 1% das intenções de voto, neste momento. O ex-presidente petista tem 47%; Jair Bolsonaro, 28%; e Ciro Gomes, 8%.

Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, a disputa entre Lula e Tebet evidencia uma divisão antiga no MDB. A corrente do partido que defende o projeto petista é encabeçada por Calheiros, que sugere abertamente que a legenda apoie o presidenciável de esquerda no primeiro turno e já deu diversas declarações contrárias à pré-candidatura da senadora.

Além disso, segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, apesar de ter lançado Simone no plano nacional, o MDB se divide entre Lula e Bolsonaro em 13 Estados e no Distrito Federal.

>

O partido está com o PT de Lula em Alagoas, Ceará, Paraíba, Pará, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí e Amazonas; e com Bolsonaro em Roraima, Acre, Rio, Paraná e Distrito Federal. 

LEIA MAIS 
Hipertensão: Anvisa determina recolhimento de remédio com ativo losartana

Mais Notícias

Mais Notícias