Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Especial Névio Archibald

Acusação deve pedir nova data para depoimentos em CP

O vereador Marcelo Silva (PSD), autor da CP, indicou dez testemunhas de acusação, mas nenhuma deve comparecer à Câmara nesta quinta (17)

| ACidadeON Campinas

Vereador Marcelo Silva (PSB) 

O vereador Marcelo Silva (PSD), autor da CP (Comissão Processante) do Ouro Verde, vai confirmar nesta quarta-feira (16) o pedido de uma nova data para tomar os depoimentos das testemunhas de acusação, escolhidas por ele, na investigação contra o prefeito Jonas Donizette (PSB).

As oitivas estavam marcadas para esta quinta-feira (17), mas nenhum dos convocados deve comparecer. Isso porque, das dez testemunhas indicadas por Marcelo Silva, oito são investigados na Operação Ouro Verde, e estão presas ou cumprem medidas restritivas.

Para que eles deponham, é preciso que seus advogados façam um pedido à Justiça, que autoriza ou não os depoimentos - mesmo que por videoconferência. Silva diz que está em contato "constante" com os advogados, mas que foi prejudicado pelo período de recesso do Judiciário e mesmo de férias dos defensores.

Como uma última cartada, Silva diz que aguarda para esta quarta-feira (16) a confirmação da presença de uma das testemunhas. Mesmo assim, ele admite que a situação é "difícil".

A reportagem do ACidadeON apurou que, das dez testemunhas arroladas pelo vereador, apenas os réus ligados à Vitale - Daniel Câmara, Paulo Câmara e Ronaldo Pasquarelli -, estariam dispostos a depor.

"Mesmo se ninguém comparecer, não é o fim do mundo. Ainda poderemos interpelar as testemunhas de defesa do prefeito, que já se contradisseram em outros momentos, além do próprio Jonas", diz Silva.

Os depoimentos das testemunhas de defesa estão marcados para o dia 24 de janeiro, e o do prefeito, dia 31.

Legalmente, Marcelo pode pedir a mudança da data mesmo depois desta quinta, assim que tiver a confirmação da presença das testemunhas. Para isso, ele deverá entrar com uma petição fazendo o pedido, que a CP pode aceitar ou não. Caso negue, o vereador pode ir à Justiça porque a ele é imputado o direito de produzir provas contra o prefeito.

Presidente da CP, o vereador Luiz Cirilo (PSDB) disse que não pode especular em cima de hipóteses. "Oficialmente ainda não tem nenhum pedido concreto. Se acontecer, vamos analisar", afirmou.

De qualquer forma, a sessão para ouvir as testemunhas já está marcada e vai ocorrer, mesmo que seja para não ouvir ninguém. A CP deve encerrar seus trabalhos no dia 7 de março.

QUEM SÃO AS TESTEMUNHAS

Marcelo Silva convocou Silvio Bernardin, ex-secretário de Assuntos Jurídicos que está preso em Araraquara; Luiz Lauro Filho, sobrinho de Jonas e ex-deputado federal; Joelma Porto, assessora de Luiz Lauro; Sylvino de Godoy, diretor-presidente do Grupo RAC; os ex-diretores da Vitale Daniel Câmara, Paulo Câmara e Ronaldo Pasquarelli; Anésio Corat Junior, ex-diretor de Saúde da Prefeitura; João Carlos da Silva (Juninho), lobista, e Danilo Donnangelo Silveira, empresário que tinha contrato com a Vitale.

NA CÂMARA

Nesta quinta, os depoimentos estão marcados para a sala da CP. A Câmara, no entanto, também abrirá o Plenário, com transmissão ao vivo nos telões multimídia, para que cidadãos presentes possam acompanhar as oitivas em tempo real a entrada será permitida por ordem de chegada, para até 220 pessoas.

O mesmo procedimento se repetirá nas demais datas de oitivas. Vale ressaltar ainda que a transmissão na íntegra e ao vivo também ocorrerá pela TV Câmara, tanto nos canais digital (39.3), da NET 94) e Vivo-Fibra (9), quanto pelo Youtube e Facebook.

Mais do ACidade ON