Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Especial Névio Archibald

Cotado para o PSL, Santini já adota tom eleitoral para 2020

Vereador já começa a desenhar um possível plano de governo para ser candidato a prefeito; privatizar Sanasa e diminuir comissionados são algumas das ideias

| Especial para ACidade ON

O vereador Tenente Santini (Foto: Divulgação/Câmara de Campinas)  
De olho em 2020, o vereador Tenente Santini (PSD) já realizar as articulações para ser candidato à Prefeitura de Campinas nas próximas eleições. Uma das mudanças é trocar a legenda - sair do PSD e mudar para o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

Essa mudança, segundo ele, está sendo tratada há algum tempo e a última conversa ocorreu há 20 dias, com o filho mais velho do clã, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, presidente do PSL em São Paulo.

"Tenho intimidade com várias pessoas (do PSL). Conversamos muito de política, mas não tem nada oficial", disse Santini. A mudança, no entanto, seria uma saída para ser candidato a prefeito ano que vem.

No PSD, o candidato mais provável à Prefeitura é o ex-presidente do partido, Guilherme Campos. O atual presidente, Gilberto Kassab, inclusive, disse que as cidades com mais de 200 mil habitantes terão candidato próprio. Em Campinas, Campos já disse que o candidato é ele, o que deixa as portas fechadas para Santini.

TOM ELEITORAL

Já sabendo desse cenário, Santini, além da troca de partido, também começa a pensar em quem irá gerir sua empresa de segurança, com mais de 3 mil funcionários, e qual seria seu possível plano de governo.

"Tenho ambição de colocar Campinas no eixo do progresso e do combate à corrupção. Quero reduzir pela metade o número de comissionados. Desejo privatizar e abrir o mercado da Sanasa e da IMA. Reduzir impostos e IPTU. Tem um desenho", afirmou.

Ele também afirmou que outra motivação é a falta de afinidade com o vereador Edison Ribeiro (PSL), maior liderança do PSL na cidade, que é da base aliada do governo Jonas Donizette (PSB).

"Não consigo compor com isso. Estou denunciado ele (Jonas) por corrupção. Não é nada pessoal, mas entra em conflito com minha posição moral e ideológica. Não confio", disse.

O PSL

O vereador Edison Ribeiro e o presidente do PSL em Campinas, André Ribeiro, foram procurados, mas não atenderam as ligações do signatário deste texto. A matéria será atualizada caso ambos se posicionem sobre o caso.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Facebook

Mais do ACidade ON