Aguarde...

Precisamos falar sobre idadismo, discriminação baseada na idade

O Alma Inclusiva convidou um dos coordenadores na Europa do movimento #StopIdadismo, José Carreira, para falar sobre o assunto. Venha saber mais!

| ACidade ON - Circuito das Águas

Foto: Montagem com imagens de divulgação e da Free-Photos/Pixabay
Uma em cada duas pessoas no mundo tem atitudes discriminatórias que pioram a saúde física e mental de pessoas idosas e reduzem sua qualidade de vida. A estimativa consta em um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre discriminação por idade, lançado em março deste ano. Clique aqui para saber mais sobre o relatório. 

"Envelhecer não é doença", afirma um dos coordenadores na Europa do movimento #StopIdadismo, José Carreira, fundador e editor da Revista Digital Envelhecer, de Portugal. "Metade da população mundial é preconceituosa. Precisamos de novas soluções."

Por isso, o movimento #StopIdadismo também não poderia ficar de fora das ações de conscientização do Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado em 15 de junho, e tema do post anterior. Clique aqui para ter acesso a ele. 

Uma das iniciativas do movimento #StopIdadismo é a gravação e divulgação de vídeos com especialistas que abordarão o tema dos maus-tratos à pessoa idosa. Também foi lançado um apelo para que cidadãos de todo o mundo produzam cartazes sobre o tema, tirem uma foto e publiquem nas redes sociais, com a hashtag #StopMausTratosPessoasIdosas.

Um vídeo contendo orientações para essa atividade está disponível na página do movimento no Facebook: https://fb.watch/5C8AE6lzmD/. Assista, escreva o seu cartaz e participe com a sua mensagem! Agora, vamos ao vídeo enviado por José Carreira. 


Sobre o #StopIdadismo

Em linha com a OMS, um conjunto de organizações sociais e meios de comunicação de países iberoamericanos estruturou e lançou oficialmente em 30 de abril deste ano o movimento global #StopIdadismo. Ele foi iniciado na Espanha pela ASISPA (instituição voltada a serviços para pessoas em vulnerabilidade e exclusão social).

O movimento recebeu apoios em Portugal, da Obras Sociais Viseu e Together International Portugal (Organizacao Nao-Governamental que atua no combate às desigualdades sociais e na promoção de campanhas de ajuda humanitária), além das adesões de ANIES, Magestil, Miss Viseu, Revista AmoViseu, Revista Bica, Revista Envelhecer e RSDHEAS Portugal e Brasil. O site do movimento é www.stopidadismo.pt

                           Foto de divulgação
No Brasil, a campanha vem sendo divulgada por meio de parcerias com o Portal LongeviNews, Aptare 360, 50 Mais Aprendiz Digital, Jornal da 3ª Idade, Página 2 e Vidas Idosas Importam. Eu mesma tomei conhecimento do movimento pelo Portal LongeviNews. Clique aqui para ser direcionado ao site. 

Convido a todos a conhecer o movimento e a participar da campanha #StopIdadismo pelo Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa (15 de junho). Escreva um cartaz com a sua mensagem sobre o tema, tire uma foto e publique em suas redes sociais com a hashtag #StopMausTratosPessoasIdosas. Diga não ao idadismo! Sejamos inclusivos. Que viva o respeito! 

                                                                                Imagem de divulgação



Mais do ACidade ON