Aguarde...

Histórias de contatos, convívio e respeito aos seres vivos.

Histórias de como encontrar e respeitar todos os seres vivos nas aventuras de um biólogo pelas trilhas da vida.

| ACidade ON - Circuito das Águas

Entrada da floresta estudo de fauna Itapeva, São Paulo.

Cada vez mais, o turismo de observação de animais de vida silvestre tem feito parte das nossas vidas e principalmente nas viagens e aventuras na natureza, propondo experiências emocionantes, diferentes e inéditas para os aventureiros. O encontro com animais silvestres, raríssimos hoje em dia, na natureza, são emoções muito fortes, para quem gosta, poder observar, nem que seja por segundos apenas, um ser vivo raro de ser encontrado livre, faz o coração e a cabeça desse velho biólogo e dos amantes de vida atingirem o êxtase da realização de um trabalho ou de um passeio.

Nesta série de textos vou relatar alguns encontros e interações, onde vamos ver e aprender como nos relacionar e observar os animais nas trilhas e aventuras nesse lindo sertão brasileiro. 


Durante um levantamento de fauna estava eu e um ajudante "morcegando" (estudando morcegos que são excelentes bio-indicadoras da qualidade do ambiente, importantíssimos predadores de pragas e dispersores de sementes) em uma mata primária dentro de um cânion do Escarpamento Furnas, onde eu fui o primeiro biólogo a estudar fauna em 2007 na região de Itapeva, São Paulo. Oportunidade na qual eu acampei por 6 meses nas matas da região fazendo estudo e monitoramento de fauna.
Acampando no mato a mais de um mês, em vários locais no meio da floresta (do jeito que o velho gosta), em uma das mais preservadas regiões do estado, nesse local do cânion trabalhando já há 4 dias, eram 11h30m da noite na trilha da mata ciliar ao lado do rio, frio, muito húmido devido a mata fechada, pés molhados pisando no barro, alimentando pernilongas a dias, com mil zunindo nos ouvidos o tempo todo, acordado desde as 4h da manhã e acompanhando as armadilhas para morcegos desde as 18h, sem nenhuma captura até então, a não ser mutucas e mariposas. Quando subitamente escuto alguma coisa caindo na água, como um mergulho. Chegando na margem do riacho vejo um rato-dágua Nectomys sp. (foto 1), nadando bem lentamente na minha frente no meio do rio, pude acompanhar todo o percurso iluminando com minha lanterna até ele subir na margem e desaparecer na vegetação, assim que a luz atingiu a margem, avistei uma jaguatirica (foto 2) que por instantes não deu bola procurando sua janta que provavelmente vinha perseguindo até o rato se jogara na água, depois de segundos desaparecem em meio a mata fechada. Emocionado com a observação rara retorno à luz da lanterna ao rio, onde vejo uma jararaca que com a movimentação caíra na água e nadando sobe a corrente com dificuldade o rio até desaparecer na margem mais à frente. Coração do veio biólogo quase para de tanta alegria de poder presenciar a vida acontecendo ao meu redor, observar 3 animais incríveis em liberdade caçando e sobrevivendo. Ah claro, nesse tempo caiu um morcego na rede que consegui escapar mordendo e fazendo um buraco enorme. Mas como sempre valeu a pena pelos registros das espécies do trabalho. 

Rato-d´água Nectomys sp.
Jaguatirica Leopardus pardalis
Jararaca Bothrops jararaca encontrada nas margens de rios, açudes e alagados.

Ao observar um animal com luz da lanterna, lembre-se, a visão dos animais principalmente dos mamíferos são sensíveis a luz, não ilumine diretamente os olhos ponha a luz ao lado, não fique balançando a lanterna, não grite, evite movimentos bruscos, mantenha a calma e curta o momento com tranquilidade. Nunca os animais vão atacar se não forem ameaçados, por isso mantenha distância, respeite o espaço deles.
As aventuras na natureza com segurança, conhecimento e respeito podem trazer aos seres humanos emoções e novos sentimentos que podem ajudar na relação do homem com a natureza, e assim fazer com que tenhamos mais conhecimento e respeito, e com isso, possamos juntos coexistir e mantermos uma relação sustentável com a natureza.

Mais do ACidade ON