Publicidade

Blogs e colunas   -   Ao som da claquete

Drama "Bar Doce Lar" mostra as memórias de um escritor

Com roteiro baseado no livro de memórias do jornalista J.R. Moehringer, filme acompanha a infância e juventude de um rapaz criado pela mãe nos anos 70

| ACidade ON - Circuito das Águas -

Ben Affleck e Tye Sheridan em "Bar Doce Lar" (2022) (Foto: Divulgação)
O ator George Clooney embarca em mais um projeto atrás das câmeras em Bar Doce Lar, longa-metragem estrelado por Ben Affleck. O drama biográfico tem roteiro baseado no livro de memórias do jornalista J.R. Moehringer e acompanha a infância e juventude de um rapaz criado apenas pela mãe em pleno anos 70, em Nova York.

A trama tem início com a chegada de J.R. e sua mãe na casa do avô materno após ambos perderem tudo em mais um relacionamento fracassado. Apesar da relação conturbada entre pai e filha, os dois são bem recebidos pelo patriarca da família e pelo tio Charlie, um dos poucos personagens que tem seu nome mencionado no enredo. 

Daniel Ranieri e Ben Affleck em "Bar Doce Lar" (2022) (Foto: Divulgação)
Com poucas aspirações para o futuro devido a pouca idade, J.R. é fortemente influenciado pelo seu tio autodidata, dono de um bar chamado The Dickens, inspirado no nome do romancista inglês, Charles Dickens. Com vários livros e romances à sua disposição, o menino logo decide que quer ser escritor.

Entretanto, por nunca ter tido a oportunidade de estudar durante a sua própria juventude, sua mãe almeja que ele se torne um advogado, com formação em uma faculdade de elite norte-americana, Harvard ou Yale. Enfrentando os dilemas da adolescência, da falta de dinheiro e da ausência do pai, J.R. trilha o seu caminho para a vida adulta no decorrer de uma hora e quarenta minutos de duração. 
 
Lily Rabe e Daniel Ranieri em "Bar Doce Lar" (2022) (Foto: Divulgação)
O filme mescla diversos momentos da trajetória do jornalista e conta com um narrador onipresente, que representa uma nova versão adulta e experiente do personagem principal. A história começa na infância do protagonista e é interpretada admiravelmente pelo estreante Daniel Ranieri. O pequeno ator traz um brilho contagiante para o drama, e possui uma química impressionante com seu colega em grande parte das cenas, o veterano Ben Affleck.

Em um papel diferente do que está habituado a fazer no cinema, Affleck surge como um mentor dedicado e divertido. Apesar de tomar para si grande parte da responsabilidade como pai do jovem J.R., ele mantém o jeito brincalhão de tio coruja e segue aconselhando o rapaz até a maioridade, auxiliando em seu amadurecimento. Ao longo do desenvolvimento do enredo, o Tio Charlie se torna o personagem mais carismático.
 
Tye Sheridan como J.R. em "Bar Doce Lar" (2022) (Foto: Divulgação)
Interpretando a fase adulta do J.R., Tye Sheridan incorpora sua personalidade tímida e insegura, comum em grande parte de seus trabalhos. Apesar da escolha de Sheridan combinar com o personagem, a diferença da cor da íris dos dois atores em fases diferentes da vida de J.R. causam um certo incômodo. Enquanto Tye tem olhos azuis, o pequeno Daniel possui olhos castanhos.

Em papéis menores, Lily Rabe encarna a mãe solteira e super protetora que almeja o melhor para o seu filho, enquanto Christopher Lloyd é o avô rabugento e teimoso. Com alguns diálogos interessantes com o protagonista, o ator Rhenzy Feliz tem grande destaque em todas as cenas em que participa devido ao seu jeito descontraído.
 
Cena do drama "Bar Doce Lar" (2022) (Foto: Divulgação)
Com uma narrativa descomplicada e focada no crescimento um tanto conturbado, mas cheio de apoio dos familiares, de um jovem norte-americano, Bar Doce Lar conta com diversas cenas divertidas e animadas, evitando o mergulho concreto em um drama forçado.

As performances do elenco talentoso impressionam e ajudam a manter o ritmo bem fluido do roteiro, e a direção de George Clooney não deixa a desejar em meio a diversos flashbacks e períodos diferentes da história do protagonista. Apesar de não apresentar um tema inovador ou um roteiro extraordinário, Bar Doce Lar diverte o espectador com sua leveza e simplicidade.
 
Confira mais críticas e dicas sobre lançamentos de filmes na página Ao Som da Claquete!

Edmo Bernardes

Sobre o colunista

Bruna Ferreira é uma jornalista apaixonada por filmes, séries, trilhas sonoras e tudo que envolve o universo cinematográfico. Um pouco geek, fascinada por Senhor dos Anéis, Harry Potter e Quentin Tarantino. Leitora voraz e ansiosa por adaptações de seus livros favoritos. A coluna é dedicada a reflexões e pensamentos sobre filmes e lançamentos da sétima arte.

Publicações



Facebook



Publicidade

Publicidade