Aguarde...

As competências necessárias para o profissional do século 21

Com as constantes mudanças da sociedade, mudam também as demandas do mercado. E o profissional do século 21 deve adaptar-se para trazer soluções inovadoras.

| ACidade ON - Circuito das Águas

O profissional do século 21 é completamente diferente dos trabalhadores que exerceram atividades em outras eras.

Nos dois séculos seguintes às Revoluções Industriais, empresas cresceram num ambiente de extrema selvageria, onde a lei do mais forte era imposta, numa concorrência desenfreada e sem precedentes.

Toda essa pressão recaía, obviamente, nos trabalhadores, que se viam forçados a desempenhar papéis cada vez mais rigorosos, que necessitavam de competências técnicas para serem cumpridos.

Novas habilidades para o profissional do século 21 

Com a mudança gradual de pensamento e atitude do consumidor, da sociedade em geral, das próprias empresas e suas lideranças, criou-se também outra necessidade para o trabalhador, e as hard skills foram, e estão sendo, substituídas pelas soft skills, amplamente divulgadas como competências socioemocionais.

Tratam-se de habilidades que envolvem coragem, resiliência, comunicação e colaboração, por exemplo. Ou seja, habilidades relacionadas às múltiplas inteligências, entre elas, a inteligência emocional, necessária para o profissional do século 21.

São competências que vão além das tradicionais, e que preparam o profissional do século 21 para exercer outras funções, menos duras, repetitivas e robotizadas, e mais voltadas à criatividade, à resolução de problemas complexos, à inovação e à disrupção.

A sociedade muda, evolui e apresenta novas demandas, e o profissional do século 21 deve estar sempre atento à essas mudanças para saciar as necessidades impostas pelas gerações atuais, que consomem e adquirem produtos e serviços oferecidos pelas empresas e por empreendedores que querem solucionar essas demandas.

O autoconhecimento como ferramenta para o profissional do século 21

O profissional do século 21 deve, antes de tudo, conhecer a si mesmo, para saber quais as habilidades possui, e também quais as insuficiências têm e que devem ser zeradas, para entender como colaborar com o crescimento de uma empresa.

Quando o profissional se prontifica a empreender, essas questões ganham ainda mais importância, e isso porque o empreendedor é alguém que está atento às novas demandas da sociedade, e quer trazer soluções inovadoras para o mercado. Esse é o profissional do século 21 que está capacitado para trabalhar.

Saber ser é mais valioso que saber fazer. Apenas conhecendo suas competências e deficiências profissionais, você poderá se tornar um trabalhador mais apto para atuar no mundo complexo em que vivemos. Saber ser te ajudará a encontrar a melhor versão de você mesmo para a empresa e para o mundo. 

 

HORA DO EMPREENDEDOR  
Ibraim Gustavo
: Jornalista, pós-graduado em Marketing e MBA em Comunicação e Mídia. Possui formação em Profissões do Futuro (O Futuro das Coisas) e no Programa de Capacitação da Nova Economia (Startse). Empreendedor, sócio-fundador e COO da Freestory.

Mais do ACidade ON