Publicidade

cotidiano

Sem AstraZeneca, cidades do Circuito aplicam 2ª dose da Pfizer

Cinco municípios da região substituíram a vacina aplicada em moradores com a segunda dose atrasada; falta de doses da AstraZeneca ocorre em todo o estado

| ACidade ON - Circuito das Águas -

Vacina da AstraZeneca está em falta em todo o Estado de São Paulo (Foto: Denny Cesare/ Código 19)

Sem doses suficientes da fabricante AstraZeneca para completar o esquema vacinal dos moradores, algumas cidades do Circuito das Águas Paulista optaram por substituir a segunda dose pelo imunizante fabricado pela farmacêutica Pfizer. Segundo um levantamento realizado pela apuração do ACidade On/Circuito das Águas, cinco municípios da região já realizaram a mudança até o momento.

As cidades de Águas de Lindoia e Holambra foram as primeiras do Circuito a notificar a falta de doses da AstraZeneca, alegando que os estoques estavam zerados em 10 de setembro. Entretanto, a falta de doses já ocorre em todo o estado de São Paulo.

De acordo com o levantamento realizado com as administrações municipais da região, a medida emergencial que consiste na aplicação das segundas doses das vacinas da Pfizer já está sendo realizada pelos municípios de Águas de Lindoia, Amparo, Holambra, Monte Alegre do Sul e Socorro.

Em nota, a prefeitura de Pedreira afirmou que "ainda possui vacinas Astrazeneca em estoque, porém, se houver falta para as segundas doses já programadas, a mesma será substituída pela vacina Pfizer, conforme solicitação do Departamento Regional de Saúde, ao qual Pedreira pertence".

Já as administrações de Jaguariúna e Serra Negra relataram que, até o momento, não houve falta de doses da AstraZeneca, e que seguem com a aplicação do imunizante.

A apuração do ACidade On/Circuito das Águas entrou em contato com o setor de comunicação da prefeitura de Lindoia, mas não obteve retorno até esta publicação.

IMPASSE

O governo do Estado de São Paulo acusou o Ministério da Saúde de deixar de enviar cerca de 1 milhão de 2ª doses de AstraZeneca para São Paulo, causando 'um verdadeiro apagão de vacinas nos 645 municípios do estado'. Segundo o governo paulista, o prazo de aplicação destas doses começou a vencer no dia 4 de setembro.

"Além destas 1 milhão de doses, São Paulo precisa receber cerca de 3,2 milhões de vacinas da AstraZeneca para concluir os esquemas vacinais até outubro. Desse total, 1,4 milhão precisam chegar até o dia 20 de setembro. Mais 1,27 milhão devem ser recebidas até a primeira quinzena do próximo mês e outras 465 mil até o final de outubro", afirmou o Estado, em nota.

O QUE DIZ O MINISTÉRIO

De acordo com o Ministério da Saúde, a pasta não está devendo lotes da segunda dose de vacina covid-19 da AstraZeneca ao estado de São Paulo. "Até o momento foram entregues ao estado 12,4 milhões de dose 1 e 9,2 milhões de dose 2 da AstraZeneca. As 2,8 milhões de doses não foram enviadas porque o prazo de intervalo entre a primeira e segunda dose só se dará no final do mês", destaca o ministério, em nota.

Segundo o Ministério da Saúde, dados inseridos por São Paulo no LocalizaSUS mostram que o estado utilizou como primeira dose vacinas destinadas à segunda dose.

"O estado aplicou 13,99 milhões de dose 1 e 6,67 milhões de dose 2. As alterações nas recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) acarretam na falta de doses para completar o esquema vacinal na população brasileira", acrescenta o ministério.

Mais notícias


Publicidade