Aguarde...

cotidiano

Toque de recolher: Doria proíbe circulação entre 23h e 5h

Medida restritiva passa a valer a partir de sexta-feira até 14 de março; Circuito das Águas continua na fase amarela durante o dia

| ACidade ON - Circuito das Águas

 
Medidas foram anunciadas em coletiva hoje (Foto: Governo do Estado de SP)
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (24) medidas mais restritivas de combate ao coronavírus no Estado. Por determinação do Centro de Contingência, todos os 645 municípios agora terão restrições de circulação de pessoas durante a noite, que passam a valer a partir desta sexta-feira (26) e seguem até o dia 14 de março. Durante o dia, os nove municípios do Circuito das Águas foram mantidos na fase amarela.

Segundo as novas regras, haverá toque de restrição de circulação entre 23h e 5h. Na prática, o governo paulista promete aumentar a fiscalização para diminuir a circulação de pessoas nesse horário, o foco é impedir aglomeração como festas e reuniões de pessoas. Porém, os serviços essenciais poderão funcionar, entre eles transporte público, supermercados, postos de combustíveis e farmácias entre outros. 

Segundo o governo estadual, as medidas foram tomadas com intenção de frear o avanço da covid-19. Nesta semana, o Estado atingiu seu maior número de internações em UTI desde o início da pandemia. 

"Dado ao fato de que chegamos ao recorde de internados com Covid-19 no sistema hospitalar de São Paulo, o governo de São Paulo, atendendo expressa recomendação do centro de contingência, decreta restrição de circulação de pessoas das 23h às 5h em todo o estado, de 26 de fevereiro a 14 de março", disse o governador. 

Com argumento de preocupação, o anúncio a respeito do Plano São Paulo foi adiantado para hoje, sendo que normalmente as medidas são atualizadas sempre às sextas-feiras. 

Apesar das mudanças, a região de Campinas foi mantida na fase amarela durante o dia. A única região que regrediu do Plano SP foi a de Marília. As demais seguem iguais.  

MULTA
A medida do governo de São Paulo ainda proíbe aglomerações em qualquer horário, e define multa por descumprimento do Plano SP. Segundo o governo, as vigilâncias sanitárias municipais e do Estado serão responsáveis pela fiscalização, além da Polícia Militar e o Procon. 

"A partir do termo circunstanciado, sendo fornecedor aquele que está fazendo o evento, ele será submetido a um processo administrativo do Procon. O valor pode chegar até R$ 10,6 milhões. A multa consiste na prática abusiva, que é prestar serviço potencialmente perigoso a saúde. O Procon irá juntamente com a polícia em alguns casos", disse o diretor o presidente do Procon, Fernando Capz. 

Algumas cidades do Estado por causa do aumento da pandemia e colapso no sistema de saúde, decretaram lockdown para tentar reduzir a transmissão do vírus. Araraquara é um dos municípios que fecharam tudo - incluindo supermercados - para tentar conter a contaminação. Na cidade, 98% dos leitos estão ocupados. Ontem, o município decidiu estender o lockdown total


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON