Aguarde...

cotidiano

Amparo muda protocolo para tratar a covid sem divulgar medicamentos

Medida foi anunciada pelo prefeito Carlos Alberto Martins (MDB) pela rede social; metodologia será aplicada na fase inicial dos sintomas da doença

| ACidade ON - Circuito das Águas

Reunião que discutiu pela mudança de protocolo no tratamento contra a covid-19 em Amparo (Foto: Reprodução/Facebook)
Amparo confirmou através de postagem em rede social feito  pelo próprio prefeito Carlos Alberto Martins (MDB), que mudará o protocolo de tratamento inicial de pacientes sintomáticos da covid-19. A medida foi divulgada na última segunda-feira (5), e será aplicada no estágio inicial da doença.

"Com essa mudança, nossa intenção é reduzir a possibilidade de agravamento do quadro dos pacientes. É importante frisar que não se trata de receitar medicamentos para quem não possui sintomas da doença, mas intensificar o tratamento já no estágio inicial da doença, não esperar ocorrer o agravamento", diz trecho da publicação do prefeito.

O anúncio foi feito após uma reunião do chefe do executivo com o secretário de Saúde Fernando Cazotto. Também participaram da decisão alguns médicos e a diretora de Atenção Primária à Saúde, Márcia Pompeu.

Segundo o prefeito, a aprovação do protocolo precisava de um consenso entre o gabinete e especialistas da área da saúde. "Ocorre que essa mudança de protocolo não é uma decisão apenas minha, pois depende do consenso médico. Venho trabalhando nisso desde janeiro quando assumi a prefeitura. Agora, depois de inúmeros debates, o tratamento na fase inicial da doença para os pacientes sintomáticos vai ser alterado", enfatiza Carlos Alberto Martins.

Medicamentos não divulgados


Na publicação da última segunda-feira (5), o prefeito Carlos Alberto Martins não apresentou detalhes a respeito dos medicamentos que serão utilizados neste novo protocolo de enfrentamento da covid-19. Também não deixou claro como vinha feito até então. Amparo é entre as cidades do Circuito das Águas com o maior número de mortes por covid-19 desde o início da pandemia: 114 até ontem.

Por meio da assessoria de comunicação da Prefeitura de Amparo, a Secretaria de Saúde afirmou que "o tratamento a partir dos primeiros sintomas respiratórios é fundamental para que os pacientes com covid-19 não apresentem agravamento da doença, diminuindo assim a necessidade de internação".

A secretaria ainda salientou que serão introduzidos "medicamentos em tempo oportuno, de acordo com os sintomas dos pacientes e a conduta médica". Quando questionada a respeito da lista de substâncias que serão prescritas, a Secretaria de Saúde relatou que "os medicamentos utilizados no tratamento inicial não serão divulgados por uma questão de responsabilidade médica e prevenção à automedicação".

Em nota, o departamento de saúde da cidade declarou que não há uma data definida para a aplicação das novas medidas preventivas e que "a Prefeitura de Amparo, a partir de uma revisão do protocolo de atendimento Covid, optou pela ampliação da oferta dos medicamentos disponíveis para o tratamento da Covid-19 nas unidades de saúde da cidade, não sendo obrigatório a prescrição e nem utilização de qualquer medicamento".

Infectologista da Unicamp fala das contraindicações

De acordo com a médica infectologista e professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Dra. Raquel Stucchi, o principal problema com os medicamentos preventivos é que não são comprovadamente eficazes no tratamento do novo coronavírus. "Primeiro, isso é uma ilusão. Essas pessoas devem continuar tomando todos os cuidados para bloquear a transmissão do vírus", relata a infectologista.

 Raquel Stucchi também faz um alerta em relação aos cuidados que a população deve tomar para frear a pandemia. "Não fomentar aglomeração, sempre lavar as mãos e usar máscara sempre que sair de casa. Isso sim é prevenção contra a covid", enumera a professora da Unicamp.

Além disso, a infectologista relata que o auxílio médico deve ser procurado em caso de sintomas da doença. "Se, mesmo em uso dessas medicações, começarem a ter sintomas que podem ser da covid, devem procurar um posto de saúde ou um atendimento médico presencial para orientação em relação à coleta de exames para diagnóstico, ao isolamento e à comunicação de todos os contatos para possível isolamento", finaliza a doutora. 

Taxa de isolamento social abaixo da média 

Amparo, mesmo na fase emergencial do Plano São Paulo desde o dia 15, não apresenta melhora significativa em relação aos números da covid-19. Os hospitais estão cheios e a cada dia sobe o número de infectados.  Medidas com restrições foram adotadas nas duas últimas semanas, mas a taxa de isolamento social medido pelo estado mostra que o município não atingiu o índice mínimo considerado ideal. No feriado prolongado ficou em 42% na Sexta-feira Santa, 42% no sábado e 47% no domingo de Páscoa, conforme dados do governo.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON