ACidadeON

Cotidiano

Ouvidoria pede esclarecimentos sobre ocorrência com PMs no interior de SP

PM/SUSPEITO/MORTE/INVESTIGAÇÃO ouvidoria

| Estadao Conteudo

A Ouvidoria das polícias do Estado de São Paulo instaurou procedimento para acompanhar a investigação do caso de policiais militares que mataram um suspeito no interior e omitiram a ocorrência da Polícia Civil. O caso foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta sexta-feira, 29. O ouvidor Benedito Mariano disse que a situação é "grave" e demanda esclarecimento.

"Enviamos ofício para o corregedor. Achamos a ocorrência grave. Além de haver indícios de o local dos fatos não ter sido preservado, tem uma questão que precisa ser apurada em relação a usurpação da função institucional de outra polícia", disse o ouvidor. A Secretaria da Segurança Pública havia informado à reportagem que a Corregedoria da Polícia Militar instaurou procedimento para apurar o caso.

O caso

Policiais militares mataram um suspeito, no último domingo, 24, durante abordagem em uma rodovia em Tarumã, a cerca de 460 quilômetros da capital paulista, e omitiram o caso da Polícia Civil, a quem compete a investigação. No entendimento do comandante dos PMs envolvidos na ocorrência, a responsabilidade de apuração do caso seria da própria Polícia Militar.

O episódio retoma polêmica iniciada em agosto quando o Tribunal de Justiça Militar(TJM) baixou a resolução 54/2017, que previa a apreensão de instrumentos e objetos relacionados à apuração de crimes militares dolosos contra a vida de civis. Na prática, o TJM afastava dos civis a apuração de casos de letalidade policial, no ano em que esse tipo de registro bateu o recorde da série histórica com 927 casos no Estado. Em setembro, a resolução foi suspensa pelo Tribunal de Justiça, a pedido do Ministério Público (MP), até o julgamento sobre o assunto, que ainda não ocorreu.

O homem morto pelos agentes do 32º Batalhão da PM era Ednilson de Oliveira Camargo, de 27 anos, e a abordagem aconteceu no km 424 da Rodovia SP-333. A PM acreditava que ele era autor de roubo e estupro.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários