Aguarde...

ACidadeON

Cotidiano

Prefeitura suspende rodízio na marginal Pinheiros por tempo indeterminado

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O rodízio de carros na capital paulista será suspenso na marginal Pinheiros, sentido Castello Branco, a partir da quarta-feira (21) pós feriadão prolongado por tempo indeterminado. A medida vale até a liberação total da via, interditada após um viaduto ceder cerca de dois metros na madrugada desta quinta (15). Segundo a prefeitura, sob gestão Bruno Covas (PSDB), não haverá rodízio entre a av. dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios. A pista expressa da marginal Pinheiros, sentido Castello Branco, está interditada desde a Ponte Transamérica até a Ponte do Jaguaré, também sem previsão de ser liberada, para obras de recuperação do viaduto, localizado na altura do Parque Vila Lobos. A decisão da prefeitura tenta minimizar os transtornos provocados pela interdição. Após o fechamento, já se formaram longos engarrafamentos, que podem se estender pelos próximos dias. A marginal Pinheiros é a segunda via mais movimentada de São Paulo, atrás apenas da Tietê, e liga a cidade a diferentes rodovias e avenidas. Em apenas uma hora, no pico de tráfego, 13 mil veículos passam pelas oito faixas da marginal, incluindo a pista local. Cinco dessas faixas estão agora interditadas. O rodízio já estava suspenso até terça-feira (20), em toda a capital, em razão dos feriados da Proclamação da República e Dia da Consciência Negra.     Nesta sexta (16), a gestão Bruno Covas informou que a situação do viaduto é mais crítica do que a esperada inicialmente e que há risco de desabamento da estrutura. A prefeitura diminuiu o número de funcionários trabalhando em obras de escoramento do viaduto por questões de segurança e solicitou a interrupção de circulação dos trens que passam sob a estrutura, já que eles estavam gerando oscilação. A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) atendeu o pedido e interrompeu os trens entre as estações Pinheiros e Ceasa  da linha 9-esmeralda. Para os motoristas que precisavam passar pelo local, a CET sugeriu opções alternativas de rotas, como pela Faria Lima e pelo Rodoanel. 

Veja também