Aguarde...

ACidadeON

Cotidiano

Após estabilização de viaduto, trens voltam a funcionar com velocidade reduzida

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O viaduto que cedeu durante a madrugada de quinta-feira (15) na zona oeste de São Paulo estabilizou-se neste domingo (18), dia em que a Prefeitura, sob gestão de Bruno Covas (PSDB), também concluiu as obras de escoramento da estrutura. Nesse cenário considerado mais seguro, a prefeitura liberou a CPTM (Companhia Metropolitana de Trens Metropolitanos) para que retomasse a circulação de trens no trecho que estava interditado, entre as estações Pinheiros e Ceasa da linha 9-esmeralda. Os trens voltaram a funcionar por volta das 11h30, mas com velocidade reduzida —a velocidade média, normalmente de 60 km/h, permanecerá limitada a 20 km/h por prazo indefinido entre as estações Jaguaré e Cidade Universitária. Testes realizados pela prefeitura com trens vazios mostraram que as oscilações provocadas pela circulação não causam impacto relevante no viaduto, e por isso foi liberada a retomada da operação com velocidade reduzida. "Não liberamos o transporte enquanto não tivemos certeza. Dentro do esperado e de maneira controlada, liberamos. Amanhã [segunda-feira] tem um intervalo do feriado que vai fazer com que tenha um carregamento maior, mas que não é o de pico da linha. Na terça teremos, novamente, uma baixa no carregamento, e depois quarta-feira. Isso vai nos ajudar a monitorar. Vamos ter cenários diferentes de carregamento do trem", disse Vitor Aly, secretário de Infraestrutura e Obras. Desde sexta-feira (16), quando foi interrompida a passagem dos trens, a prefeitura disponibilizou ônibus gratuitos (sistema Paese) para que os usuários percorram o trecho interrompido. No entanto, longas filas se formaram, o que tem gerado queixas dos usuários. Sobre o viaduto, Aly disse que ele se movimentou um pouco pela manhã devido à oscilação de temperatura, o que já era esperado. Segundo ele, todas as variações estão dentro do esperado e agora o próximo passo é fazer a análise do terreno para a instalação de uma base sobre a qual será instalado um macaco hidráulico para sustentar o trecho do viaduto que cedeu e nivelá-lo.

Veja também