Aguarde...

cotidiano

Protestos, saques, incêndio: entenda o que ocorre em Minneapolis; vídeo

Policial branco usa joelho para asfixiar o homem afro-americano George Floyd, que morreu, e provoca revolta nos EUA

| ACidade ON

 

Segunda-feira, 25 de maio. Um policial branco foi flagrado em um vídeo pressionando seu joelho no pescoço do homem afro-americano George Floyd, que mais tarde morreu em um hospital, em Minneapolis.  

Desde então, a maior cidade do estado americano de Minnesota registrou saques, incêndios, depredações e até uma morte por arma de fogo. Entenda a história em cinco etapas.

1. A abordagem policial 

A suspeita é de que Floyd estaria tentando usar uma nota de US$ 20 falsificada em uma loja de conveniência. Após abordagem, o policial usou o joelho para pressionar o pescoço do suspeito. Vídeo mostra populares pedindo que o policial soltasse o pescoço de Floyd. Os policiais afirmam que ele resistiu à prisão, mas nenhuma arma foi apreendida na abordagem e um vídeo da câmera de segurança de uma loja próxima a onde ocorreu o incidente mostra o homem sendo retirado pela polícia de dentro do carro dele e algemado, aparentemente sem resistir à prisão.  

2. A família
A família da vítima pede que Derek Chauvin, o policial visto no vídeo, seja julgado por assassinato. 

3. A investigação
O FBI, a polícia federal americana, iniciou uma investigação sobre a morte de Floyd.  

4. Os protestos  

Na tarde de terça-feira (26), os protestos começaram pacífico. Mas rapidamente saíram de controle. Houve confrontos entre polícia e manifestantes, com balas de borracha, gás lacrimogêneo e granadas de efeito moral. De acordo com a polícia local, dezenas de lojas foram saqueadas e/ou incendiadas, principalmente na área da Avenida Minnehaha e da rua E. Lake Street, no sudeste de Minneapolis. Cinco pessoas foram baleadas e uma morreu depois que o dono de uma loja de penhores abriu fogo contra um homem que ele acreditava estar roubando sua loja. Em Los Angeles, na Califórnia, e em Memphis, no Tennessee, centenas de manifestantes também saíram às ruas para se manifestar contra a morte de George Floyd.  

5. As autoridades  

Segundo a Foz News, o prefeito de Minneapolis, Jacob Frey, pediu ajuda da Guarda Nacional do estado para lidar com os protestos, informou a Fox News. "Ser negro na América não deve ser uma sentença de morte", disse ele. "O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que pediu ao FBI para agilizar a investigação sobre a morte de Floyd, acrescentando que "a justiça será feita". 

Um homem passa por um carro em chamas no estacionamento de uma loja Target durante protestos depois que um policial branco foi pego no vídeo de um espectador pressionando seu joelho no pescoço do homem afro-americano REUTERS / Carlos Barria ORG XMIT: SIN