Aguarde...

ACidadeON

cotidiano

Trump pede para Arábia Saudia aumentar produção de petróleo

PETRÓLEO/ARÁBIA

| Estadao Conteudo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que pediu à Arábia Saudita para elevar significativamente a produção de petróleo. Atualmente, a demanda global está aumentando e os estoques de petróleo armazenados estão caindo. Recentemente, uma série de interrupções no fornecimento - no Canadá, Irã, Líbia e Venezuela - restringiram os mercados.

Os preços do petróleo terminaram a sexta-feira com novos recordes. O petróleo bruto de referência dos EUA encerrou um pouco acima de US$ 74 o barril, o maior valor desde novembro de 2014. O índice de referência global, o Brent, está próximo dos US$ 80 o barril.

Isso contribuiu para o aumento dos preços da gasolina. Nos últimos meses, Trump tem culpado a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pelos preços mais elevados.

A Arábia Saudita e a Rússia já disseram que trabalharão juntas para aumentar a produção. Os produtores obtêm mais receita quando os preços estão altos, mas também estão conscientes de que, quando ficam muito elevados, podem desacelerar o crescimento econômico - e a demanda por petróleo. A Opep relatou que tem ouvido reclamações de grandes nações consumidoras, caso dos EUA.

Publicamente, Riade se comprometeu a apenas aumentos modestos na produção, mas, nos bastidores, o país está elevando rapidamente - passando de pouco mais de 10 milhões de barris por dia há alguns meses para uma meta de quase 11 milhões de barris por dia até julho, de acordo com pessoas próximas ao Ministério do Petróleo da Arábia Saudita.

No sábado, Trump disse em um tweet que está pedindo ainda mais. "Estou pedindo que a Arábia Saudita aumente a produção de petróleo, talvez até 2.000.000 de barris", disse Trump no tweet, citando uma conversa com o rei saudita.

Fonte do governo saudita disse que o país não fez nenhuma promessa específica a Trump, mas garantiu aos Estados Unidos a capacidade de atender à demanda.

Na noite de sábado, cerca de 14 horas depois que Trump postou seu tweet, a Casa Branca publicou uma declaração sobre a ligação entre Trump e o rei saudita, que ocorreu na sexta-feira.

A declaração não diz que o rei concordou em aumentar a produção de petróleo ou que os preços estavam altos demais.

"Em resposta à avaliação do presidente de um déficit no mercado de petróleo, o rei Salman afirmou que o país mantém uma capacidade ociosa de dois milhões de barris por dia, que será usada prudentemente, se e quando necessário, para assegurar equilíbrio e estabilidade do mercado, e em coordenação com seus parceiros produtores, para responder a qualquer eventualidade", diz a declaração.

Alguns especialistas disseram que não acreditavam que o aumento drástico que Trump pediu fosse necessário. Com o crescimento econômico global devendo diminuir nos próximos dois anos, produzir mais petróleo agora pode levar a outro superávit, disse Dean Foreman, economista-chefe do American Petroleum Institute. O superávit global anterior, devido em parte ao aumento da produção de xisto dos EUA, pressionou os preços do petróleo para um valor tão baixo quanto US$ 25 por barril.

Veja também