Aguarde...

ACidadeON

cotidiano

Tailândia: temor de novas inundações pode antecipar resgate de meninos presos

Tailândia caverna jovens resgate

| Estadao Conteudo

As fortes chuvas previstas para os próximos dias podem piorar as inundações na caverna onde 12 meninos e seu técnico de futebol estão presos, na Tailândia. Dessa forma, as equipes de resgate devem acelerar os trabalhos de retirada do grupo - o que inicialmente poderia levar meses. A informação foi divulgada por um funcionário de alto escalão do governo tailandês nesta terça-feira, 3.

Os 13 foram localizados por mergulhadores no final da noite da segunda-feira, 2, em uma caverna no norte da província de Chiang Rai. Autoridades disseram que as crianças, entre 11 e 16 anos, e seu técnico, de 25 anos, estavam em condições médicas estáveis. Eles receberam alimentos líquidos com alto teor de proteína.

O ministro do Interior tailandês, Anupong Paojinda, membro da junta militar do país, disse que o grupo pode ter que nadar para fora do local usando equipamento de mergulho, antes que as chuvas previstas para o fim de semana cheguem. Ele afirmou que o resgate será feito pela mesma rota que os mergulhadores utilizaram para entrar no local.

Embora os esforços para bombear a água da inundação para fora da caverna continuem, Anupong disse que algumas áreas não podem ser drenadas e, para sair, os garotos teriam que usar equipamento de mergulho e ser guiados por mergulhadores profissionais. Ele admitiu que, caso a tentativa dê errado, as consequências podem ser desastrosas. "O mergulho não é fácil. Para as pessoas que nunca fizeram isso, será difícil, ao contrário do mergulho em piscina, porque a caverna tem canais pequenos", declarou.

Em vídeo divulgado pela marinha tailandesa, os meninos são mostrados em seus uniformes, sentados em uma área seca dentro da caverna de Tham Luang Nang Non.

Segundo o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osatanakorn, a saúde do grupo foi avaliada de acordo com três níveis: verde, que significa condição estável, amarelo, que aponta condição séria, e vermelho, para condição crítica. "Descobrimos que a maioria dos meninos está em condição verde", disse o governador. "Talvez alguns tenham ferimentos leves ou lesões e sejam classificados como amarelos. Mas ninguém está em condição vermelha", assegurou.

Especialistas em resgate em cavernas disseram que oferecer suprimentos para os meninos onde eles estão atualmente pode ser mais seguro do que tentar fazê-los mergulhar. No entanto, poderia levar meses até que as águas baixassem, já que a estação chuvosa na Tailândia geralmente dura até outubro.

Alívio

Os parentes que mantiveram vigília na entrada da caverna desde que o grupo desapareceu, no dia 23 de junho passado, comemoraram a notícia de que as crianças e o treinador haviam sido encontrados com vida.

"Eu quero dar um abraço nele. Sinto muita falta dele", disse Tham Chanthawong, tia do treinador. "Nesses dez dias, quantos milhões de segundos se passaram? Eu senti falta dele a cada segundo", afirmou.

Mergulhadores passaram grande parte da segunda-feira fazendo preparativos para um esforço final na busca pelo grupo. Os trabalhos foram prejudicados nos últimos dias pelas inundações, que dificultaram a passagem por trechos estreitos e cheios de água lamacenta.

Dois mergulhadores britânicos especializados em cavernas encontraram as crianças e o treinador abrigados em uma seção mais alta e distante do que o esperado.

No vídeo divulgado pela Marinha, de cinco minutos, os meninos são vistos usando seus uniformes de futebol e parecem estar calmos, mas disseram que estavam ansiosos para receber algum alimento.

Depois de uma conversa inicial, na qual o socorrista confirma que os 13 estão juntos no local, um dos garotos pergunta qual é o dia, e o socorrista responde "Segunda-feira. Segunda-feira. Vocês estão aqui há dez dias".

Em seguida, o homem diz aos garotos que eles são muito fortes, e uma das crianças responde "Diga a eles que estamos com fome". Outro menino reitera a fala do colega. "Nós não comemos. Nós temos que comer, comer, comer".

O socorrista então responde que homens da Marinha virão no dia seguinte, "com comida, médicos e tudo mais". Ao fim do vídeo, um dos garotos pergunta, em inglês "De onde você vem?" e o mergulhador responde "Da Inglaterra, Reino Unido".

Nesta terça-feira, o governador Narongsak disse que o grupo recebeu alimentos líquidos, ricos em proteínas, analgésicos e antibióticos. Segundo ele, médicos aconselharam dar os medicamentos de forma preventiva.

Ele disse que as autoridades concordaram na necessidade de "garantir 100% de segurança para os garotos quando os trouxermos para fora". "Trabalhamos muito para encontrá-los e não os perderemos", ressaltou.

Desafios

Anmar Mirza, um dos principais especialistas americanos em resgates de cavernas, disse que muitos desafios permanecem para os socorristas. Segundo ele, a principal decisão a se tomar é sobre tentar retirar o grupo pelo mergulho ou esperar para que possam sair quando as águas baixarem.

"Mantê-los no local pode ser um desafio, dependendo da dificuldade dos mergulhos", disse Mirza, que é coordenador da Comissão Nacional de Resgate de Cavernas dos Estados Unidos. "Tentar levar não-mergulhadores através de uma caverna é uma das situações mais perigosas possíveis, mesmo que os mergulhos sejam relativamente fáceis."

O Conselho Britânico para Resgate em Caverna disse, em comunicado, que tem membros participando da operação e "embora os níveis de água tenham caído, as condições de mergulho continuam difíceis e qualquer tentativa de mergulhar não vai ser fácil, porque há desafios técnicos e riscos significativos a se considerar."

Junto dos ingleses e americanos, estão equipes de outros países, como Austrália e China.

Autoridades informaram ainda que os esforços para o resgate vão continuar do lado de fora da caverna, onde as equipes têm vasculhado a montanha em busca de outras entradas para as cavernas abaixo. Algumas fissuras foram encontradas e exploradas, mas nenhuma delas até agora levou aos garotos presos. Fonte: Associated Press.

Veja também