Aguarde...

ACidadeON

Economia

Economia brasileira cresce 1,74% no terceiro trimestre, diz Banco Central

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A economia brasileira cresceu 1,74% no terceiro trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores, informou o Banco Central nesta sexta-feira (16). O cálculo do banco é feito pelo indicador IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), e os dados são dessazonalizados, o que significa que os efeitos típicos de cada mês são retirados do número para possibilitar a comparação. A expansão ocorre após quedas de 0,15% no primeiro trimestre e de 0,79% no segundo. ‘Vemos os resultados dos distintos indicadores da atividade [no terceiro trimestre] tendendo claramente a positivos, em parte em resposta à base fraca do segundo trimestre‘, disse o economista-chefe da Tullett Prebon Brasil, Fernando Miguel Monteiro, em nota. Na comparação mensal, a economia brasileira teve uma retração de 0,09% em setembro. O resultado foi melhor que a expectativa em pesquisa da Reuters, de queda de 0,4%, e da Bloomberg, de retração de 0,21%. A queda de setembro foi, no entanto, a primeira mensal desde maio, quando o desempenho econômico do país recuou 3,39% devido à paralisação dos caminhoneiros. TERCEIRO TRIMESTRE POR SETOR Na quarta-feira (13), o IBGE divulgou que as vendas do varejo se mantiveram estáveis no terceiro trimestre, mostrando um enfraquecimento ao longo do ano, após alta de 0,8% no segundo trimestre e de 1% nos primeiros três meses do ano. Já o setor de serviços chegou ao fim do terceiro trimestre com um crescimento no volume de 0,8% sobre os três meses anteriores, ante alta de 0,2% no segundo trimestre e contração de 0,6% no primeiro. Nos três meses terminados em setembro, a produção industrial do Brasil terminou com queda acima do esperado, depois de a fabricação de automóveis pressionar com força o setor no mês. Em setembro, a produção da indústria registrou perdas de 1,8% em relação a agosto, segundo o IBGE. A mais recente pesquisa Focus realizada pelo BC junto a economistas mostra que a expectativa é de um crescimento do PIB este ano de 1,36%, acelerando a 2,5% em 2019.

Veja também