Aguarde...

ACidadeON

Economia

Presidente do conselho da Nissan deve ser preso no Japão por violação financeira

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do conselho de administração da Nissan, Carlos Ghosn, deve ser preso no Japão por supostas violações financeiras, informou nesta segunda-feira (19) o jornal local "Asahi". Além da Nissan, Ghosn é também presidente do conselho e executivo-chefe da Renault da França. O jornal apontou que o presidente é suspeito de ter subestimado sua própria receita nas demonstrações financeiras. A emissora pública NHK informou que Ghosn está sendo interrogado por suspeita de violações financeiras. A Nissan, em comunicado, disse que a empresa esta checando a reportagem, já a Renault não respondeu sobre o escândalo. Em Paris, na França, as ações da Renault caíam cerca de 10,8% às 11h (horário de Brasília). As ações da Nissan tinham queda de 8,7% na Bolsa de Frankfurt. GHOSN Nascido no Brasil, descendente de libaneses e cidadão francês, iniciou sua carreira na Michelin na França e depois se transferiu para a Renault. Em 1999, se juntou à Nissan depois que a Renault comprou uma participação controladora e se tornou seu presidente-executivo em 2001. No Japão é raro ter um executivo estrangeiro no topo da carreira. Ghosn é bem cotado na Nissan por ter tirado a empresa da beira da falência.

Veja também