Aguarde...

ACidadeON

Economia

Prioridade da Petrobras será exploração do pré-sal, afirma Castello Branco

| FOLHAPRESS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Escolhido para presidir a Petrobras no governo de Jair Bolsonaro, Roberto Castello Branco afirmou nesta terça-feira (20) que a estatal terá como prioridade a exploração do pré-sal."O foco da Petrobras deve ser na aceleração da exploração do pré-sal", disse ao deixar o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), onde funciona o gabinete do governo de transição.O futuro presidente da petroleira evitou comentar quais segmentos da empresa podem passar por privatização. Segundo ele, o modelo a ser adotado ainda está em discussão."Ao longo de novembro, dezembro [se definirá o modelo] para chegar em janeiro pronto para enfrentar os desafios. Agora é a pré-temporada, o campeonato só começa em janeiro."Nesta segunda-feira (19), logo após o anúncio de que comandaria a Petrobras a partir de 2019, Castello Branco afirmou que a privatização da estatal não estava em questão, mas admitiu a possibilidade de desestatizações em algumas áreas, como distribuição de combustíveis e refino.Ele evitou falar sobre o projeto da cessão onerosa, cuja votação estava prevista para esta terça no Senado. "Está em discussão ainda."O projeto de lei em debate no Congresso autoriza a Petrobras a abrir mão da exclusividade da exploração de petróleo em áreas sobressalentes da região chamada de cessão onerosa, hoje exclusiva da estatal.Segundo cálculos da equipe econômica, os leilões poderiam gerar R$ 100 bilhões em receitas para a União.Já o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), que se comprometeu com o próximo governo a dar celeridade ao projeto, disse que o valor a ser arrecadado pode ser ainda maior e chegar a R$ 120 bilhões, R$ 130 bilhões.Questionado sobre o compromisso de partilhar os recursos da cessão onerosa com Estados e municípios, assumida pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, Castello Branco disse que essa é uma atribuição do governo."Isso não é função da Petrobras. Isso é uma questão do governo. Decisão do Executivo, não é da empresa."Escolhido por Paulo Guedes, Roberto Castello Branco é professor da FGV (Fundação Getulio Vargas), onde ocupa o cargo de diretor do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico.Tem pós-doutorado pela Universidade de Chicago e é ex-diretor do Banco Central e da Vale.Ele chegou ao conselho da Petrobras em 2015 por indicação do ex-presidente da mineradora, Murilo Ferreira, que havia sido nomeado por Dilma Rousseff para presidir o conselho da petroleira estatal.Deixou a empresa no ano seguinte com críticas ao ritmo das mudanças na estatal, que vivia momento agudo da crise pós-Lava Jato. Considerava que as propostas de reestruturação interna e de venda de ativos eram tímidas.É amigo de Guedes desde a década de 1980, quando este presidiu o Ibmec, rede ensino que fundou.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários