Aguarde...

ACidadeON

Economia

Governo está aberto a mudanças no projeto da Previdência, diz relator

| FOLHAPRESS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo está disposto a aceitar mudanças no projeto da Previdência em análise na comissão especial da Câmara dos Deputados e buscará compensar no Orçamento eventuais concessões realizadas, afirmou nesta segunda-feira (20) o relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Após deixar uma reunião com o ministro Paulo Guedes (Economia) e o secretário da Previdência, Rogério Marinho, Moreira, que apresentará seu relatório até 15 de junho, ressaltou que há uma convergência de ideias entre o Congresso e o governo. "O governo está aberto a aceitar mudanças no projeto. Isso é importante", disse. "Se houver concessões, nós vamos tentar buscar no Orçamento alguma compensação de recursos que possam ser melhor utilizados na Previdência do que em outros lugares", complementou, sem indicar de onde os recursos poderiam sair. Moreira comentou a notícia de que deputados estariam trabalhando em uma proposta alternativa ao projeto de mudanças na aposentadoria do governo. A notícia surgiu após o presidente da comissão, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), dizer que seria apresentado um substitutivo ao texto da equipe econômica de Jair Bolsonaro. O relator explicou que substitutivo é o termo técnico utilizado para versões que alterem o texto original, o que vem sendo trabalhado pelo tucano junto com os líderes partidários e com interlocutores com o governo. "Nós estamos trabalhando em cima do projeto que o governo enviou. Esse é o projeto, só tem esse projeto. Nós estamos relatando este projeto, não há outro", disse. O ministro afirmou estar confiante no trabalho do relator e do Congresso e otimista "quanto ao compromisso de conseguirmos aprovar a reforma com a potência fiscal necessária para desbloquear o horizonte de investimentos no Brasil nos próximos 10, 15 anos." Logo após a declaração, o ministro foi questionado se estava mantida a expectativa de uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos com a reforma, mas não respondeu. Mais cedo, Marinho considerou as informações de que haveria um texto alternativo ao projeto do governo como um "ruído de comunicação". Já o porta-voz da Presidência da República, Otavio do Rego Barros, afirmou que o governo pode discutir com o Congresso proposta alternativa para a reforma da Previdência, apesar de considerar que o texto já enviado é "a melhor para o Brasil". O governo quer uma redução de pelo menos R$ 1 trilhão em uma década com a reforma. O próprio Bolsonaro admitiu que as mudanças podem ter efeito diluído e estabeleceu um piso de R$ 800 bilhões. Mas parlamentares já calculam que o impacto nas contas deve ficar em torno de R$ 600 bilhões.

Mais do ACidade ON