Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Neymar fala de "fake news" e pede cautela

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao lado do filho Davi Lucca, de 7 anos, Neymar concedeu entrevista em Londres, onde a seleção enfrenta o Uruguai nesta sexta, às 18h (de Brasília). Chamando de "fake news" o vazamento de dados do "Football Leaks", que aponta, por exemplo, bônus que os jogadores do PSG supostamente recebem até por saudar a torcida, ele pouco falou sobre o amistoso em si. "Às vezes eu dou risada, sabe, por que é cada coisa que andam publicando, falando. Ao mesmo tempo fico muito triste, chateado por inventarem histórias, coisas que não são reais. É muito complicado, peço para que tenham cuidado. Para nós, atletas, é chato escutar histórias que não são reais. Perdemos a vontade de comunicar com vocês [imprensa]. Peço que tomem cuidado com fake news", disse. Sobre a partida com os uruguaios, o camisa 10 do Brasil pediu atenção a dois velhos conhecidos seus, os atacantes Suárez, com quem jogou no Barcelona, e Cavani, atual colega de PSG. "São dois grandes craques. Eu joguei com o Suárez e estou jogando com o Cavani. Sei das qualidades deles, podem resolver jogos. Temos que estar ligados. É sempre bom enfrentar jogadores de qualidade porque isso tira seu melhor", alerta. Quem também concedeu coletiva foi Tite. O técnico da seleção brasileira fez mistério na escalação dos titulares que enfrentarão o Uruguai, no entanto, confirmou a presença do volante Walace, do Hannover 96, da Alemanha, na vaga do lesionado Casemiro. "Não vou enrolar [sobre a escalação]. É o momento em que há uma série de modificações, e você acaba oscilando dentro do jogo, porque se mexe muito. Diferente de uma equipe que vinha sendo repetida. Se joga Arthur, Paulinho ou Renato, são características diferentes. Não vou facilitar e quero potencializar o que pode ser surpresa pra outra equipe", disse o treinador, que pretende surpreender o rival. O amistoso será realizado no estádio do Arsenal.

Veja também