Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Alemanha é rebaixada na Liga das Nações com vitória da Holanda sobre França

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Mesmo afastada das grandes competições ao ver apenas pela TV a Copa do Mundo da Rússia, a Holanda deu uma prova de força nesta sexta-feira (16), em Roterdã. A equipe comandada por Ronald Koeman derrotou a atual campeã do mundo França pelo placar de 2 a 0 e deu passo importante para avançar de fase na Liga das Nações. De quebra, o resultado favorável ao time laranja rebaixou a Alemanha para a próxima edição do torneio da Uefa. O resultado conquistado com os gols anotados pelo meio-campista Wijnaldum, do Liverpool, e Memphis Depay, de pênalti no último minuto de partida, deixou os holandeses em situação favorável. Com seis pontos em três rodadas e um compromisso pela frente, a equipe depende apenas de si para ultrapassar a França, que já encerrou participação nesta primeira etapa, e avançar para a etapa final do torneio. Para deixar também a França para trás, a Holanda precisa só empatar com a Alemanha, na próxima segunda-feira (19), em Gelsenkirchen. No critério de desempate com os campeões mundiais, os holandeses avançam simplesmente pelo saldo de gols no confronto direto com os franceses, que triunfaram por 2 a 1 em Saint-Dennis. Valorizado ao chegar ao Manchester United há alguns anos, Memphis Depay jamais alcançou o nível esperado na Inglaterra. Hoje diante da França, a exibição relembrou o porquê do status de promessa do camisa 10 holandês. Atuação de alto nível premiada com o gol de pênalti nos acréscimos da etapa final. O volante N'Zonzi, da Roma, teve a dura missão de substituir Pogba diante da Holanda e acabou decidindo de maneira negativa para os Bleus. N'Zonzi errou o tempo de bola e cortou a bola nos pés de Babel no lance que acabou no gol anotado por Wijnaldum. O rebaixamento para a o segundo grupo de seleções da Liga das Nações ratifica o péssimo momento vivido pela seleção alemã desde a pífia participação na Copa do Mundo. Em três compromissos, o time tetracampeão mundial somou apenas um ponto –empate sem gols com a França. São cinco gols sofridos e apenas um marcado a um jogo da despedida melancólica no torneio. O JOGO Contando com o apoio da torcida no De Kiup, a seleção holandesa desde o início assumiu o papel de protagonista da partida. Com um meio-campo dinâmico e sem uma referência propriamente dita no ataque, a equipe de Ronald Koeman dominou uma França distante daquela campeã do mundo há quase seis meses. Hugo Lloris, antes dos 15min, precisou fazer duas boas defesas em chutes de Wijnaldum e Depay. A Holanda controlava o ritmo de jogo. Tanto tecnicamente quanto taticamente, a equipe da casa se sobrepunha sobre uma apática seleção francesa. Entretanto, somente após uma falha individual, o placar acabou alterado. Aos 44min, após lançamento para a área, o meio-campista N'Zonzi falhou ao tentar cortar a bola e desviou de cabeça nos pés de Ryan Babel. O atacante holandês finalizou e viu Lloris fazer um milagre, mas Wijnaldum, atento ao rebote, abriu o placar. O placar parcial não alterou o comportamento holandês. A equipe da casa, que exerceu marcação pressão sobre a defesa rival durante boa parte do duelo, seguiu em ritmo acelerado e só era parada pela ótima atuação de Lloris. Aos 16min, Blind levantou na cabeça de Dumfries, que cabeceou para excelente intervenção do goleiro francês. No rebote, o capitão evitou novamente o segundo gol rival. A Holanda manteve a postura agressiva até o fim e acabou recompensada. De tanto insistir, o time da casa chegou ao segundo gol e deu uma maior justiça ao confronto. De Jong foi derrubado dentro da área, e Depay, grande destaque da partida, cobrou a penalidade com cavadinha para superar Lloris e decretar o resultado final. Estádio: De Kuip, em Roterdã (Holanda) Juiz: Anthony Taylor (ING) Cartões amarelos: Wijnaldum (H); Kanté e Digne (F) Gols: Wijnaldum, aos 44min do 1º tempo, e Memphis Depay, aos 48min do 2º tempo HOLANDA Cillessen; Dumfries, De Ligt, Van Dijk e Blind; De Jong, De Roon e Wijnaldum; Bergwijn (Promes), Memphis Depay e Babel. T.: Ronald Koeman. FRANÇA Lloris; Pavard, Varane, Kimpembe e Digne; Kanté e N'Zonzi (Ndombele); Mbappé, Griezmann e Matuidi (Sissoko); Giroud (Dembélé). T.: Didier Deschamps.

Veja também