Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Flu chega a quase 500 minutos sem marcar um gol e ataque preocupa

| FOLHAPRESS

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Tanto quanto o empate sem gols diante do Ceará na segunda-feira (19) e o risco de queda para a Série B do Campeonato Brasileiro, a seca de gols do ataque do Fluminense preocupa muito e liga o alerta nas Laranjeiras. Após o empate por 0 a 0 no Maracanã, o time atingiu 492 minutos sem balançar a rede adversária. A última vez que a torcida festejou um gol foi no dia 31 de outubro, quando Luciano marcou diante do Nacional e ajudou o Flu a selar a vaga à semifinal da Copa Sul-Americana. De lá para cá, os tricolores saíram zerados nos jogos contra Vasco, Atlético-PR, Sport, Palmeiras e Ceará. A situação é ainda pior na competição nacional, visto que o último gol do Flu foi diante do Atlético-MG, no dia 21 de outubro. "Está complicado, os gols não estão saindo. É uma 'zica', está difícil. O time precisa de concentração na hora de finalizar para a bola entrar", disse o atacante Marcos Júnior ao Premiere. O jejum é ainda mais alarmante à medida que o time tricolor precisa furar a defesa do Atlético-PR se quiser seguir vivo na Sul-Americana. Como perdeu o jogo de ida por 2 a 0, os jogadores têm a obrigação de marcar para avançar à finalíssima. O técnico Marcelo Oliveira tem tentado solucionar o problema e boa parte dos atacantes do grupo tem recebido oportunidades. Nesta segunda, o equatoriano Cabezas começou jogando, e Matheus Alessandro e Macula foram lançados ao longo da partida. "A utilização de jogadores variados é buscando uma solução. O Cabezas tem treinando bem, o Matheus Alessandro fez bons treinamentos. Estamos tentando criar surpresas e situações novas para tentarmos achar o caminho do gol", pontuou ele. Com o resultado contra o Ceará, os cariocas pularam para 42 pontos —a cinco do América-MG, clube que abre a zona do rebaixamento— e caíram para a 13ª colocação do Brasileiro. O Flu volta a campo na quinta-feira (22), quando enfrenta o Bahia, às 21h, na Fonte Nova.

Veja também