Aguarde...

Esportes

Em crise financeira e mal em campo, Cruzeiro vê agora briga por impeachment de presidente

| FOLHAPRESS

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Os bastidores do Cruzeiro estão agitados e a efervescência da vez diz respeito a um pedido de impeachment do presidente Sérgio Santos Rodrigues, um dos maiores alvos da torcida no momento, em que o time, além de mal financeiramente, vive fase ruim em campo.

A proposta para que o mandatário seja retirado do cargo parte da SDC (Sociedade Democrática Cruzeirense), um grupo de torcedores associados às sedes sociais, que protocolou na quarta-feira (14), na secretaria do clube, uma solicitação para a destituição de Rodrigues.

O grupo se baseia em questões que trata como relevantes para pedir o afastamento de Sérgio Santos Rodrigues da cadeira presidencial: gestão temerária, quebra de decoro, influência no Conselho Fiscal, e tráfico de influência nas investigações contra ex-dirigentes. Citando dívidas com a Fifa,

"Muitas ideias vêm sendo discutidas, e a do impeachment nasceu após a desclassificação na Copa do Brasil e contratação do Rodrigo Pastana [diretor de futebol] e do Mozart [técnico]. São 104 pessoas [signatárias do documento], salvo engano, e o pedido se baseia predominante em gestão temerária, desvio orçamentário, quebra de decoro conforme estatuto, dentre outros", disse o advogado Fábio Stockler, representante jurídico do grupo SDC, à reportagem.

"Esperamos que o Conselho Deliberativo entenda a importância do órgão neste momento. Toda a responsabilidade do futuro do Cruzeiro está nas mãos deles [conselheiros] agora. Será uma grande chance do Conselho Deliberativo limpar sua imagem e demonstrar que realmente se preocupa com o Cruzeiro", afirma.

Procurado pela reportagem, o Cruzeiro não quis se manifestar. Em entrevista à rádio 98FM, Rodrigues criticou a iniciativa: "É uma peça de comédia, não é uma peça jurídica. Eu acho que, para não dizer outra palavra, foi feito de uma forma nada inteligente, além da má intenção, de querer só tumultuar mais o ambiente".

"Os tópicos que estão ali colocados, sinceramente, se não fossem um motivo para ficar rindo, eram de rir. Na hora que eu fui ler e tive acesso: 'demissão do Felipe Conceição'. Isso é motivo de impeachment? Demissão de técnico? Sendo que não foi demissão, já foi explicado mil vezes o que que aconteceu", emendou.

À reportagem, uma fonte ligada à Mesa Diretora do Conselho Deliberativo, que pediu sigilo em um primeiro momento, indicou que o documento produzido pelo grupo pode não ter validade, o que pode abrir uma nova batalha política dentro do clube.

De acordo com essa fonte, somente conselheiros do Cruzeiro podem pedir o impeachment do presidente, o que motivou novo questionamento da reportagem ao advogado que representa o grupo SDC no pedido de saída de Rodrigues.

"Todo associado tem direitos dentro de uma associação. Então, distribuímos o pedido para análise do Conselho Deliberativo, que é quem terá a competência de julgar. O Estatuto não tem previsões objetivas para a proposição de impeachment", afirmou Stockler.

No próprio documento em que solicitam o afastamento de Sérgio Santos Rodrigues, o grupo SDC afirma que o estatuto do Cruzeiro é frágil quanto ao regramento do impeachment, mas que todo associado teria, sim, direito a solicitar tal análise por parte do Conselho.

O advogado do grupo ainda disse que o pedido de destituição do presidente acontece após áudios e matérias jornalística envolvendo a situação calamitosa pela qual passa o Cruzeiro. E, também, pela falta de trabalho do Conselho Fiscal do clube.

Em meio à disputa política, o time celeste tenta voltar a vencer na Série B do Campeonato Brasileiro. Já são cinco rodadas sem vitórias, com uma derrota e quatro empates no período. Às 16h30 deste sábado (17), o Cruzeiro receberá o Avaí, em confronto válido pela 12ª rodada.

Com 11 pontos, a oito do G-4, o clube mineiro ocupa a 14ª colocação. Já os avaianos, com 15 pontos, está na nona posição da tabela e vêm embalados por cinco jogos de invencibilidade na competição, com três vitórias e dois empates nesse intervalo.

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Horário: 16h30 (de Brasília) deste sábado (17)

Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)

Transmissão: Premiere


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON