Aguarde...

Esportes

Cano resiste a maratona de jogos e mantém protagonismo no Vasco

| FOLHAPRESS

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Artilheiro isolado do Vasco e segundo maior goleador estrangeiro da história do clube, Germán Cano enfrenta uma maratona que já dura 16 jogos consecutivos. Aos 33 anos, o argentino é o terceiro que mais atuou na temporada, com 23 partidas, ficando atrás apenas dos jovens Gabriel Pec, 20, que soma 27 partidas, e Andrey, 23, que entrou em campo 24 vezes.

Considerando todas as temporadas, o atacante argentino —que chegou no início do ano passado— é o quinto com mais jogos (74), sendo superado apenas por jogadores que têm muito mais tempo de Vasco, casos do já citado Andrey (137), Leandro Castán (119), Romulo (114) e Ricardo Graça (99).

Não bastasse isso, dos 16 jogos consecutivos que Germán Cano soma atualmente, em somente dois ele não atuou os 90 minutos: na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo no primeiro jogo da final da Taça Rio, em que foi substituído aos 40 minutos do segundo tempo, e na derrota por 1 a 0 para o Goiás pela Série B, na qual saiu aos 31 minutos também da etapa final.

Apesar da maratona que o experiente atacante enfrenta, o técnico Marcelo Cabo, por ora, não pensa em poupá-lo, a não ser que receba uma determinação do departamento médico. Ele, inclusive, deverá seguir como titular e pilar da equipe para o confronto com Náutico às 16h deste domingo (18), pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O treinador fez questão de enaltecer o profissionalismo de Germán Cano, que é sempre um dos primeiros a chegar aos treinamentos e segue de maneira rigorosa as recomendações fisiológicas e nutricionais —o que inclui ter até contratado um cozinheiro particular, responsável por oferecer um cardápio especial ao jogador.

"Cano se cuida muito, é exemplar na alimentação, chega muito antes do treino. É muito integrado ao departamento fisiológico e científico. Você vê a volúpia e a entrega do Cano. No dia em que a gente entender que o Cano deve ser preservado, nós vamos preservar, mas não posso abrir mão do nosso maior artilheiro", disse Cabo na última terça (13), após empate em 1 a 1 com o Coritiba, que contou com gol do argentino.

"Cano é uma referência, é um expoente dentro do Vasco da Gama. É um líder dentro do grupo junto com Castán, Romulo e Vanderlei. Não posso abrir mão do Cano a não ser que o departamento médico diga algo. Ele se doa para o Vasco, veste essa camisa na concepção da palavra", emendou o treinador.

Antes de engatar os 16 jogos consecutivos, Cano havia ficado de fora na derrota por 1 a 0 para o Madureira no jogo de ida das semifinais da Taça Rio.

As outras vezes em que o argentino desfalcou o Vasco foram todas também no Campeonato Carioca: contra Macaé, Botafogo, Nova Iguaçu e nos dois jogos iniciais do Estadual, quando o clube cruz-maltino atuou com uma equipe sub-20 contra Volta Redonda e Portuguesa-RJ.

Com 74 jogos e 37 gols com a camisa do Vasco até aqui, Cano tem uma média de um tento a cada dois jogos. Para os vascaínos, o jogador será fundamental no encontro agora com o Náutico, que, além de estar ainda invicto e liderar a Série B, tem a melhorar defesa da competição junto com os outros três times do G-4, com só cinco gols sofridos cada.

Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Horário: 16h (de Brasília) deste domingo (18)

Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)

Transmissão: TV Globo, SporTV e Premiere


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON