Publicidade

Gravidez e bebê

Visitas: é você quem decide se as recebe ou não, sabia?

Não se obrigue a encher a sua casa de gente quando tudo o que você mais quer é se recuperar e cuidar do bebê em paz nesse período de resguardo.

| ACidade ON -

Um recém-nascido é uma fonte inesgotável de alegria, fofura e curiosidade. Se você recebeu poucos visitantes no hospital, é possível que sua casa vá se transformar - ou já tenha se transformado - num entra-e-sai frenético de amigos e familiares loucos para conhecer o seu filho. Para algumas mulheres, as visitas são bem-vindas e funcionam como uma distração. Para outras, especialmente as que tiveram uma gestação complicada, que vêm sentindo muita dor no pós-parto ou que simplesmente estão atordoadas com o novo papel de mãe, esses momentos podem ser um transtorno, um martírio.



Caso você tenha se identificado com esse segundo grupo e se sinta incomodada com a possibilidade de receber um monte de gente na sua casa sem que esteja preparada ou disposta para isso, a melhor saída é ser sincera. Antes, no entanto, livre-se da culpa: você não é mal-educada, mal agradecida ou grosseira por expor sua vontade. O bem-estar do bebê depende do seu bem-estar.



Avise que terá o maior prazer, sim, em receber visitas muito em breve, mas que, por enquanto está concentrada em se recuperar do parto e adotar uma rotina de cuidados com o bebê. Agradeça a preocupação e a gentileza e diga que assim que estiver pronta, marcará uma data. É seu direito se preservar e preservar o seu filho.



Quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e gratuito.

Mais notícias


Publicidade