Aguarde...
Mundo dos Bichos

MEIO AMBIENTE

A lista de cancelados do momento

Confira a seleção de animais que infelizmente estão em risco de cancelamento e podem desaparecer da natureza.

| ACidade ON

Devido a estreia da 21ª edição do programa de TV Big Brother Brasil, a palavra "cancelamento" voltou a ganhar destaque na mídia e nas discussões das redes sociais. O termo se refere ao movimento social de boicote de alguma figura pública devido a alguma atitude reprovada pela opinião pública. A repercussão negativa tem o intuito de fazer a celebridade perder prestígio e acabar caindo no esquecimento.

Mas não é deste tipo de cancelamento que vamos falar hoje! A nossa lista traz alguns animais que correm o risco de desaparecer da fauna brasileira pois se encontram criticamente em perigo. Segundo o ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade - são mais de 1.170 espécies que estão sob ameaça de extinção atualmente no Brasil.

Esta lista existe desde a década de 1960 e de lá pra cá, a quantidade de espécies em risco só aumentou. Segundo o levantamento do instituto, a Mata Atlântica é o bioma que apresenta a maior quantidade de espécies em risco de extinção. A seguir, você confere alguns destes animais que podem desaparecer da nossa fauna.


Cuíca de colete 


A cuíca-de-colete é um marsupial noturno que se alimenta de plantas e alguns frutos. Ela geralmente é encontrada na região de Rondônia em uma área de constante degradação e desmatamento.

Gato do Mato 


O gato-do-mato pode ser encontrado em alguns estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. A estimativa é que nos próximos 15 anos a população do mamífero possa ser reduzida em 10% devido ao grande avanço agrícola das regiões.

Saium de coleira 


Este primata sofre grande risco de extinção devido à ação humana e por condições naturais, já que vive em competição com outras espécies como o sagui-de-mãos-amarelas. Ele atualmente é encontrado em apenas três cidades do Amazonas: Manaus, Itacoatiara e Rio Pedro da Eva.

Baleia Azul 


A Baleia Azul possui 30 metros e pode pesar até 170 toneladas. A espécie sempre foi muito rara e estima-se que a sua população atualmente representa somente 1% do que já foi, se comparada com dados do início do século 20.

Peixe-boi marinho
 


Segundo órgãos ambientais, este mamífero atualmente possui uma população de apenas 500 indivíduos devido à interferências do homem na natureza e ao próprio habitat do peixe-boi-marinho. Eles podem ser encontrados em Alagoas e Amapá.

Toninha 


A toninha pode ser encontrada no litoral do Espírito Santo e na Baía da Babitonga em Joinville - SC. Uma das principais ameaças deste animal é a pesca de arrasto que faz com que eles se prendam nas redes de malha e acabam se afogando. A estimativa é que até 2025 a população de toninhas chegue a apenas 10% da quantidade original.

Ararinha azul  


Esta ave está ameaçada de extinção principalmente pelo tráfico de animais silvestres. Estima-se que existam menos de 100 animais da espécie em programas de conservação que fazem reprodução em cativeiro. Diferente do que muitos acham, seu habitat natural não é a Amazônia e sim, a caatinga.

Cervo do pantanal
 


As construções de hidrelétricas na Bacia do rio Paraná foram responsáveis por matar um grande número destes animais na região e estima-se que atualmente a população eseja em torno de 25 mil indivíduos. Outra ameaça do cervo do pantanal é a caça em regiões dos rios Araguaia, Guaporé e Paraná.

Ariranha 


Devido à caça predatória, a ariranha sofreu uma drástica redução populacional, segundo o ICMBio. Atualmente esse mamífero pode ser encontrado na Bacia Amazônica e no Pantanal, mas devido à ação do homem e construção de hidrelétricas, as perspectivas para a conservação da espécie não são nada otimistas.

Anta 


A anta é o maior mamífero terrestre do nosso país, chegando a pesar 300 quilos e pode medir até 2,5 metros. Com o desmatamento constante do cerrado, estima-se que o animal pode perder 80% de sua população nativa.

Lobo guará 


O grande inimigo do lobo-guará é o desmatamento. Ambientalistas projetam que a população do mamífero pode reduzir 30% nos próximos 20 anos.