Publicidade

mundodosbichos

Pantanal: um bioma em constante ameaça

Dia 12 de novembro é comemorado o Dia do Pantanal, saiba mais sobre este bioma tão importante para a biodiversidade brasileira

| Mundo dos bichos -

Você sabia que o dia 12 de novembro é o Dia do Pantanal? Esta data foi instituída pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e também por uma lei estadual matogrossense 


A data também é utilizada para homenagear o ambientalista Francisco Anselmo de Barros, que morreu no ano de 2005 durante um protesto em defesa do pantanal. 

Lista da Jú: lista dos animais cancelados do momento

Devido sua importância para o meio ambiente, o Pantanal é reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e Patrimônio Nacional pela Constituição Federal.

O Pantanal cobre uma enorme área de 620 mil quilômetros quadrados, que abrange partes do Brasil, do Paraguai e da Bolívia, mas 62% da área fica em território brasileiro. Sua planície se estende por mais de 200 mil quilômetros quadrados dos territórios do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul.

Estudos indicam que o bioma abriga 263 espécies de peixes, 41 espécies de anfíbios, 113 espécies de répteis, 463 espécies de aves e 132 espécies de mamíferos sendo 2 endêmicas. Entretanto sua biodiversidade está ameaçada, entre os anos de 2019 e 2020 houve um aumento de 200% nos focos de incêndio no bioma, segundo dados do INPE - Instituto de Pesquisas Espaciais.
 

Agrotóxicos: o vilão das abelhas 


Esta destruição do bioma provocada por queimadas foi alvo de grande preocupação dos ambientalistas, não só no Brasil, mas em todo o mundo. Grande números destes incêndios foram provocados pela ação humana, e em grande parte, são criminosos.

Este cenário trágico pode ser visto no documentário "Jaguareté-Avá: Pantanal em Chamas" tem previsão de estreia para 12 de novembro, no Globoplay. Lawrence Wahba presenciou o início de um dos maiores incêndios da história do bioma e retratou este triste desastre ambiental em sua produção audiovisual.

Desde a primeira até a última gravação foram 100 horas de material captado. As imagens foram feitas pelo documentarista, mas também por brigadistas, veterinários e voluntários atuantes na região. Mais que um registro, o documentário tem como objetivo chamar atenção da sociedade para a urgente necessidade de preservação do bioma.

Mais notícias


Publicidade