Aguarde...
ON Run

onrun

Só quero ser professor de corrida de verdade

Inspirado pelo amor ao esporte e em ser o professor que os corredores amadores precisam

| ON Run

Só quero um professor de verdade. Crédito: Divulgação/pixabay

Sou professor e, antes de tudo, um apaixonado. Sempre gostei de ler textos, em especial, sobre corrida de rua. O início do texto não tem muito a ver com o título, mas essa minha curiosidade em ler sobre corrida me ajudou muito a dar sempre o meu melhor para ajudar os meus alunos.  

Fui atleta profissional e treinador de atletas de alto rendimento que corriam no pace de 2 minutos e 50 segundos a 3 minutos por km. Depois comecei a trabalhar com os amadores que corriam no pace de 6 minutos a 8 minutos' por km.  

Vocês devem estar imaginando como foi difícil, tive que puxar o freio de mão e me adaptar, mesmo fazendo cursos e conversando com frequência com os principais treinadores. Mas foi em uma revista popular, em uma clínica médica na cidade de Campinas, mais precisamente no mês de dezembro, que li um dos melhores texto escrito para quem é professor e trabalha ou quer trabalhar com os amadores na corrida de rua.  

 

Nele, uma menina falava sobre o seu desejo para o ano novo. Ela relatava que tinha dificuldades para perder peso e alguns agravos com os marcadores bioquímicos do sangue, precisando melhorar a sua alimentação e principalmente, fazer uma atividade física, sendo essa a sua maior dificuldade, porque não teve uma infância com estímulos para a prática de esportes.

Depois de fazer inscrições em várias academias e faltar muito, foi convidada por uma colega de trabalho para fazer uma aula de corrida. No início foi difícil, mas em pouco tempo acabou se apaixonando. Mesmo assim, teve que enfrentar muitas dificuldades em função do seu biótipo, chegando até a ser aconselhada pelo professor a fazer outra atividade física.  

No final do texto ela dizia: "para o meu desejo de ano novo, só quero um professor de verdade. Que acredite em mim, mesmo com as minhas limitações, que posso correr. Não quero ganhar a São Silvestre, nem tão pouco a Corrida Integração, ou mesmo ser campeã em minha faixa etária. Só quero correr, no meu ritmo e com as minhas limitações e potencialidades. Só quero um professor que acredite que posso correr e ser feliz!"  




Mais do ACidade ON