Aguarde...
ON Run

onrun

A especialização esportiva precoce e seus efeitos

Iniciar cedo demais em um esporte, sem o suporte profissional necessário, pode trazer consequências para o futuro dos jovens atletas

| ON Run

Especialização esportiva precoce. Crédito: Divulgação/canva
Dedicamos esse texto para falar sobre a especialização esportiva precoce e seus efeitos que vão muito além do abandono do esporte.  

Preparamos abaixo um breve resumo dos principais textos sobre o assunto para te ajudar a ficar bem informado e ir direto ao ponto. Você terá a possibilidade de ler o resumo da matéria e, se te interessar, você poderá ler a mesma na íntegra clicando no link disponibilizado.   

Boa leitura e esperamos que goste do nosso site, ele vem sendo feito e atualizado a cada dia com intuito de te ajudar a ficar bem informado e tomar as melhores decisões sobre os assuntos que envolvem a corrida de rua.

1.Especialização precoce dos atletas mirins na corrida de rua.
A especialização esportiva precoce é um tema extremamente importante para o futuro do esporte brasileiro, principalmente para a modalidade do atletismo com foco na corrida de rua. Ela acontece quando as crianças se especializam em um determinado esporte mais cedo do que a idade apropriada.
Para ler o texto completo clique aqui.  

2.As consequências da especialização precoce na corrida de rua
Esse fenômeno ocorre bastante com crianças praticantes de corrida de rua, que na maioria das vezes estão sob a orientação apaixonada, mas não ideal de "pais treinadores" que por não possuírem formação na área, acabam não compreendendo como ocorre o desenvolvimento físico de uma criança em seus primeiros anos de atividade atlética, ultrapassando algumas dessas fases. Como consequência existe bastante desistência da prática esportiva, que pode refletir na vida adulta.
Para ler o texto completo clique aqui.  

3.Crianças no esporte: especialistas em brincar.
Atualmente as crianças estão muito sobrecarregadas, seja nas classes desprivilegiadas economicamente, onde precisam trabalhar para ajudar no sustento da família, ou as de classe média e alta que têm muitos compromissos, como por exemplo: inglês, computação, escola e cursos. Mas muita gente se esquece do lúdico, do brincar.
Para ler o texto completo clique aqui.