Aguarde...
ON Run

onrun

Precisamos valorizar os atletas e treinadores brasileiros

Os estrangeiros reconhecem que somos bons, mas precisamos aprender a valorizar mais os nossos atletas e treinadores

| ON Run

Precisamos valorizar os atletas e treinadores brasileiros. Crédito: Fernanda Paradizo
Sou professor e convivo com pessoas desde a minha época de atleta, adoro conversar e ouvir boas histórias, em especial aquelas que nos enchem de orgulho ou dá a sensação de dever cumprido, como quando um aluno diz que a corrida está lhe fazendo muito bem.  

Em uma dessas conversas perguntei para um aluno estrangeiro, dos vários que tenho, sobre o que ele acha do Brasil, sua resposta foi direta: "Eu acho que vocês não reconhecem o poder que vocês têm. Vocês são bons, muito bons. O único problema é não reconhecer isso. Vocês têm complexo do vira-lata, expressão utilizada por Nelson Rodrigues em 1950, dado o fracasso na final da Copa do Mundo.   


Digo isso porque quando cheguei ao Brasil tinha um tratamento muito bacana e era bem recebido por ser estrangeiro, mas após um período morando e produzindo mais que antes, parece que me tornei brasileiro e o meu trabalho não tem o mesmo peso que tinha antes, não sei explicar, mas tenho essa sensação."  

Talvez isso aconteça por uma questão cultural, fomos acostumados a dar toda a nossa riqueza para a coroa portuguesa em troca de migalhas, a velha expressão "eles davam o espelho e levavam nosso ouro!" 

No atletismo, existiu o período da vinda de técnicos estrangeiros para atuarem no Brasil. Alguns eram reconhecidos pelo resultado e contribuição ao esporte brasileiro, entretanto outros, no caso das provas de meio fundo e fundo, não foram bem vistos porque não tinham a expertise para atuar no Brasil, até porque para ser um treinador precisa ser bom e ter resultados.  

No caso das corridas de meio fundo e fundo, o Brasil possui grandes treinadores e isso se comprova pelos resultados dos nossos atletas, pois somos um dos poucos países no mundo a ter resultados nos principais eventos da modalidade, somos medalhistas em campeonatos mundiais e olimpíadas. Fomos top 10 em várias edições e nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, além de termos sido o único país a colocar três atletas no top 15 na maratona, com ótimos resultados nas principais maratonas pelo mundo afora.  

Precisamos valorizar mais os nossos atletas e principalmente nossos treinadores. Somos bons e se fizermos uma estatística justa, não tenho dúvidas que estaremos entre os top 5 do ranking mundial de treinadores e atletas!