Aguarde...
ON Run

onrun

Curiosidades e acontecimentos históricos sobre o atletismo

Confira algumas curiosidades e acontecimentos históricos sobre o atletismo

| ON Run

Curiosidades e acontecimentos históricos sobre o atletismo. Crédito: Divulgação Canva

O atletismo é composto por 47 provas diferentes, 24 para homens e 23 para mulheres. Essa diversificação se dá principalmente pelas diferenças encontradas na forma de execução e nas características atléticas requeridas por cada uma de suas provas, contemplando a oportunidade da prática aos mais diferenciados biótipos de pessoas.  

Não obstante, o atletismo ocupa uma posição de destaque nos programas de educação física escolar de países desenvolvidos e é a modalidade com maior número de participantes e maiores públicos em Jogos Olímpicos.  

Pensando nisso, selecionamos abaixo algumas curiosidades e acontecimentos históricos sobre o atletismo, em especial as corridas de fundo (rua), para te ajudar a entender um pouco mais sobre essa apaixonante prova que compõem a modalidade do atletismo.   


Uma das formas de nos manter firmes ou mais assíduos aos treinos é conhecendo um pouco mais sobre a modalidade ou tipo de atividade física que estamos praticando, afinal ler também é um exercício.  

A CBAt - Confederação Brasileira de Atletismo é responsável pelo esporte no País. No plano mundial, a direção é da (WA) World Athletics.

5.000 metros - Masculino

Tem também origem na Antiguidade e a primeira referência vem-nos da 15ª Olimpíada (720 a.C.); a prova se chamava "dolichos" inspirava-se nas proezas dos mensageiros militares (dromokerykes ou hemeródromo), que transportavam mensagens e instruções por grandes distâncias, principalmente em tempo de guerra. Todavia, não era um evento popular!

Em nossa época, a partir de meados do século 19, as corridas de fundo gozavam de grande interesse popular, e assim surgiu o primeiro tempo em 1º de novembro de 1897, 16.34.6, obtido em Paris pelo gaulês George Touquet-Daunis.

Já na era IAAF, temos o primeiro tempo de 14.36.6, marcado pelo finlandês Johannes Kolehmainen em Estocolmo, em 10 de julho de 1912, na final da V Olimpíada, após luta empolgante com o francês Jean Bouin, que, batido no "sprint", marcou mais 1 décimo.

No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi do atleta FRANCISCO P. AMARAL, vencedor do I Campeonato Brasileiro em 1925, com o tempo de 16.52.9.

10.000 metros - Masculino

As corridas de fundo são, de uma maneira geral, criações relativamente recentes, e eram muito populares no final do século passado, principalmente nas Ilhas Inglesas. Assim, não é de se admirar que o primeiro tempo que conhecemos venha de Londres, onde em 17 de novembro de 1877 o inglês James Gibb fez parar o cronômetro em 33.31.0.

O primeiro recorde reconhecido pela IAAF é também de um inglês, Alfred Shrubb, que em Glasgow, em 5 de novembro de 1904, marcou 31.02.4.

No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi do atleta ERNESTO TODARO, vencedor do I Campeonato Brasileiro em 1925, com o tempo de 35.05.0.

3.000 metros com Obstáculos - Masculino

A primeira corrida de obstáculos (steeple-chase em inglês) que se conhece aconteceu em Edimburgo em 1828. Esta disciplina foi introduzida no programa esportivo da Universidade de Oxford em 1860, e nos Jogos Olímpicos de 1900 em Paris foram disputadas duas corridas, uma de 2500 metros e outra de 4000 metros.

A distância foi estandardizada em 1920 em 3000 metros nos Jogos Olímpicos de Antuérpia, naquele ano, porém nem sempre se disputava com o mesmo número de obstáculos, razão porque a IAAF só reconhece como primeiro recorde a marca de 8.49.6 de Sandor Roznyoi, da Hungria, obtida em Berna em 29 de agosto de 1954, durante os Campeonatos da Europa.

No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi do atleta JOAQUIM LUIZ FILHO, vencedor do I Campeonato Brasileiro em 1925, com o tempo de 10.21.5.

3.000 metros - Feminino

As corridas de fundo femininas são uma criação recente, tanto que a marca mais antiga que se conhece é da canadiana Roberta Picco, que em 23 de julho de 1966, em Don Mills, marcou 9.44.0. A prova foi reconhecida pela IAAF em 1972, sendo o seu primeiro recorde da soviética Lyudmila Bragina, com 8.53.0, em Moscou, em 12 de agosto de 1972.

Só foi incluída no Programa Olímpico em Los Angeles, em 1984.
No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi da atleta SORAYA VIEIRA TELLES, vencedora do Campeonato de Meio-Fundo no Rio de Janeiro em 1978, com o tempo de 9.52.6.


10.000 metros - Feminino

A primeira marca registrada é da australiana Adrienne Beames, com 34.08.0, em Adelaide, em 28 de janeiro de 1972, e o primeiro recorde reconhecido pela IAAF é da soviética Yelena Sitapova, que em Moscou, em 19 de setembro de 1981, marcou 32.17.20.

No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi da atleta CARMEN DE SOUZA OLIVEIRA, vencedora do XXII Campeonato Brasileiro em São Paulo, em 1985, com o tempo de 35.22.15.

Fonte: CBAt - Confederação Brasileira de Atletismo

Mais do ACidade ON