Aguarde...
ON Run

onrun

Profissionais de educação física serão incluídos na segunda fase da vacinação contra COVID-19?

A segunda fase, anunciada nesta quarta-feira (03), abrange mais profissionais da saúde

| ON Run

Educadores físicos serão incluídos na segunda fase da vacinação contra COVID-19? (Foto: Denny Cesare/Código19)
Um dos momentos mais esperados por qualquer pessoa no mundo é a chegada da vacina para ter mais tranquilidade, principalmente porque evitará as complicações causadas pela covid-19.

Esse momento chegou na cidade de CampinasSP, a Prefeitura anunciou agora pouco (quarta-feira, 03), o agendamento da segunda fase da campanha de vacinação, na qual serão incluídas outras categorias profissionais e também idosos acima de 90 anos.
Entre essas categorias se encontram os profissionais de educação física, que fazem parte da área da saúde.

Maiores informações e agendamentos clique aqui: 

Ates de efetuar o seu agendamento, segue abaixo algumas observações: 

Como regra do PNI (Programa Nacional de Imunização) são vacinados nesta etapa apenas profissionais que atuam em estabelecimentos de saúde humana. Como exemplo, um educador físico pode ser vacinado apenas se trabalha em serviços de saúde, sendo que personais trainers, que atuam em academias ou diretamente com cliente, por exemplo, não são contemplados e por isso não serão vacinados nesse momento.   

ON EXPLICA

No momento do agendamento, a secretaria de Saúde anuncia no site que é necessário apresentar registro no conselho de classe, e comprovar vinculação ativa com serviço de saúde humana em qualquer município e comprovação de residência em Campinas ou vinculação ativa com serviço de saúde em Campinas.

"Reforçamos que o vínculo a ser comprovado refere-se, neste momento, exclusivamente aos serviços de saúde humana conforme consulta ao Programa Estadual de Imunização, em consonância ao Plano Nacional de Imunização", diz parte do texto no site.

Durante a coletiva que anunciou o início da 3ª etapa de vacinação, a diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) Andrea Von Zuben, explicou sobre a imunização nestes grupos.

"Esses profissionais eles só entrarão na vacinação - e isso é muito importante falar- que é obrigatório comprovar uma vinculação ativa com serviço de saúde. Não faz mal que seja um serviço fora de Campinas, se for morador de Campinas nós vamos vacinar", afirmou ela.

Segundo Andrea, a diferenciação é pela exposição ao risco de contágio com o vírus.

"São atendidas pessoas que se expõem ao risco. Vou dar um exemplo: é diferente uma nutricionista que trabalha numa clínica ou consultório do que uma nutricionista que trabalha em cozinha industrial. Então vai ser contemplada neste momento aquelas pessoas com algum vínculo com serviço de saúde. Então essa comprovação é exigida", ressaltou.

A diretora do Devisa ainda afirmou que a confusão causa prejuízos, atrasando a vacinação para grupos prioritários.

"Aconteceu muito na etapa passada das pessoas agendarem, não ter os documentos que pedíamos e ocupar vagas. Perdemos horário de agendamento, e a gente não tem autorização para vacinar", explicou.