Publicidade

onrun

Corrida de rua e os cuidados: treinar bem e evitar lesões

Para se manter firme, seguro e conectado na prática da corrida de rua é preciso foco nos treinos, cuidado com as lesões e fones de ouvido. Confira dicas.

| ON Run -

Você gosta de correr ouvindo música? Confira os cuidados que você deve ter com as lesões e fones de ouvido para ir bem na corrida de rua. (Crédito: Pexels).
 

Corrida não é só correr! A gente insiste nisso para que você possa compreender que a corrida de rua vai muiiiiitooo além do verbo correr. Esta prática esportiva promove o bem estar da saúde física e mental, provoca a interação social e, para muitos corredores, torna-se mais que um hobby, mas sim uma filosofia de vida saudável.

Tanto que a caminhada e a corrida de rua são praticadas por pelo menos 25% dos brasileiros de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ). Alguns podem até dizer que é um esporte que está na moda ou que nunca sai de moda.

Atualmente a corrida de rua está bastante popularizada nas diferentes distâncias e percursos, de provas dos 5 km aos mais de 42 km da maratona.

Mas como tudo na vida tem uma medida recomendada para termos os reais benefícios e evitar possíveis lesões e contratempos, organizamos algumas dicas e recomendações para você realizar seus treinos com segurança e aumentar a possibilidade de melhoras no desempenho, e claro, evitar possíveis lesões e desconfortos. 

Ah, e não só isso, o ONRUN também te ajuda a evitar os ruídos de comunicação com outros corredores. Você sabia que essa tribo tem um dicionário próprio? Amarre seu cadarço e vamos de conhecimento! 

Corredor, respeite as suas planilhas de treino 

Depois que você buscou ajuda especializada, fez a sua avaliação física e deu tudo certinho... você já terá informações que vão te credenciar a começar os treinos na corrida de rua. Você pode saber mais sobre avaliação física aqui.

Os professores prescrevem as planilhas de treinos levando em conta aspectos individuais como peso, tempo de treinamento, resultado dos testes, objetivos propostos, entre outros parâmetros. 

Alguns corredores acham que podem sair a Deus dará e seguir sua planilha de qualquer forma, não respeitando volume, intensidade, pausa, pace, progressão de cargas e principalmente os dias de descanso, o que pode prejudicar o desempenho. É treta! 

Saiba mais sobre planilhas de treinamento. 

Corredor, não queira evoluir rápido demais 


Na fase inicial os ganhos para o corredor são rápidos. É preciso pensar que, via de regra, ele estava na condição de sedentário e o desempenho já é percebido logo nas primeiras semanas.

É aí que mora a treta! Como a melhora é percebida num curto espaço de tempo, o corredor tende a querer aumentar o volume e a intensidade dos treinos para que possa querer manter os resultados iniciais. Você aumenta consideravelmente os riscos de se lesionar. Não vale a pena!

Atenção: o recomendado é que a evolução seja de 10 a 15% do total a cada duas ou três semanas. Lembrando que não trata-se de uma receita de bolo, por isso, pode variar de pessoa para pessoa e de um período de treino para outro. Intercalar os treinos de corrida com caminhadas é uma boa opção. Fica a dica!

Corredor, descanse após os treinos 

Muitos ignoram esta constatação, mas ela é verdadeira: mais importante que o treino é o descanso. Principalmente para os atletas amadores que, além de corredores, são pais, mães, chefes, empregados, trabalhadores... e não possuem um vasto tempo para o descanso. 

As atividades do cotidiano fazem com que gastemos energia e prejudicando assim a recuperação muscular após um treino intenso. Por esse motivo, invista na qualidade do seu sono, pois alguns hormônios importantíssimos são sensibilizados durante esse momento. 

É no descanso que acontece a síntese proteica, responsável por criar adaptações necessárias para melhorar a performance.

A expressão que diz que as crianças crescem quando estão dormindo, também serve para os adultos. O hormônio do crescimento (GH) também tem a sua liberação durante o sono, por isso, tente dormir um pouco antes do normal, especialmente, nas semanas que antecedem seu objetivo principal e nos dias de treinos mais intensos. 

O planejamento é fundamental para sua evolução, seu professor certamente saberá qual é a dose ideal para a melhora do seu desempenho a médio e principalmente a longo prazo. 

Para cada treino mais intenso deve haver um dia de treino mais leve e até mesmo um dia de descanso. É durante os períodos de descanso, entre um treino e outro, que acontece a recuperação e a construção muscular. 

Corredor, se liga na parte técnica 

A parte técnica é essencial para qualquer corredor. Independente da modalidade de corrida que escolher. A técnica é a responsável pela economia de energia dos atletas, sejam eles profissionais ou amadores.

A técnica é a protetora quando o assunto são as lesões. Isso porque uma vez que o movimento fica mais limpo, os músculos gastam menos energias para desempenhar as funções necessárias. 

Os principais especialistas de corrida orientam que os alunos busquem um professor para ajudar a realizar e corrigir o movimento, possibilitando a melhora do desempenho. 

Como já foi dito em outras oportunidades, um educador físico poderá te ajudar a desempenhar os treinamentos que mais se encaixam com sua realidade metabólica. Com um treino ideal, sua corrida é mais segura. 

Corredor, cuidado com os fones durante os treinos 

O que você gosta de ouvir enquanto corre? Rock? Eletrônica? MPB? Sertanejo? Os sons mais populares? 

Praticar atividade física, em especial a corrida de rua, com auxílio da música tem sido uma rotina cada vez mais comum. Essa prática veio das academias que tinham as aulas de rpm e spinning com auxílio da música e, em alguns casos, a música ditava o pace das pedaladas.

Essa nova estratégia motivacional e pedagógica, começou a ser utilizada na corrida na esteira, ainda dentro da academia, chegando na corrida de rua. Os praticantes escutam música nos treinos nas ruas, parques, zona rural e até nos dias de provas.

Em algumas provas nos Estados Unidos e na Europa já existem orientações para que os participantes não façam uso dos fones de ouvido durante a prova.

Mas como tudo na vida precisa de moderação e equilíbrio, é necessário analisar os prós e os contras para entender como usufruir dos benefícios dessa estratégia em treinos ou em provas.

Pensando na segurança, um dos melhores e mais importante dos sentidos é a audição, ela nos deixa em alerta e nos protege com muita eficiência de possíveis riscos do cotidiano, principalmente durante os treinos na rua. Reflita!

Para quem corre na rua, os fones de ouvido não são recomendados. É que você não pode deixar de considerar os riscos inerentes às ruas movimentadas em que o fluxo de veículos é intenso. A sua audição também é seu escudo. É ela, ao lado de outros sentidos, quem vai te manter alerta para qualquer situação que lhe possa colocar em risco.

Quando corremos nossa visão nos protege de tudo que está em nossa frente, ou seja, de tudo que conseguimos visualizar. Já a audição nos protege de tudo que não conseguimos ver, mas podemos escutar.

Por exemplo: o grito de um ciclista, a buzina de um carro ou a sirene de uma ambulância. A audição nos ajuda a ver, no caso a ouvir, o que os olhos não veem e a maioria dos acidentes com corredores estão relacionados a isso. Cuidado!

Não consegue correr sem som? Tranquilo! Treine em parques, campos ou em áreas em que o fluxo de veículos e os riscos de acidente são menores. Se for para rua, utilize espaços em dias e horários em que o trânsito fica interditado. Use o fone em apenas uma das orelhas, isso diminui muito a possibilidade de um possível acidente durante seus treinos. 

Corredor, conheça a linguagem da sua tribo 

Todas as tribos têm o seu vocabulário e a sua forma de se expressar. Na corrida de rua não poderia ser diferente. E conhecer esse vocabulário ajuda o corredor a evitar possíveis ruídos de comunicação durante a interação social com os outros corredores e professores. 

Destacamos na tabela abaixo algumas dessas terminologias ou modo pelo qual os corredores normalmente se comunicam, para você ficar por dentro dos principais assuntos que envolvem a corrida de rua e os praticantes.


VOCABULÁRIO DO CORREDOR DE RUA


Pace:
É o ritmo que o atleta percorre uma determinada distância. Por exemplo, se você correr os 10 km em 60 minutos, seu pace médio será de 6 minutos por km. Existe também o pace de treino, de prova e outros.

Longão, rodagem ou percurso:
É o termo dado ao treino contínuo, ou seja, correr sem pausa por um período que pode variar de 40 minutos ou mais de duas horas, dependendo do seu objetivo e condicionamento físico. 


RP ou recorde pessoal:
Corresponde ao seu melhor resultado em uma prova. 

Prova:
São os eventos de corrida (São Silvestre, integração...) 

Tiros:
São corridas rápidas comum nos treinos intervalados na pista ou parques.


Pipoca ou pirata:
Os atletas que correm sem inscrição nas provas.


Quebrar, travar ou o urso montou nas costas:
Significa que você errou a estratégia de prova. Na maioria das vezes acontece por iniciar a prova mais rápido e chegar bem mais lento, às vezes sendo forçado a caminhar ou desistir da prova. 

Treino leve, suave, soltura, suja roupa, regenerativo:
Significa correr bem de leve, comum dois dias antes das provas ou durante alguns treinos. 

Pacers, coelhos, meta volante:
São atletas contratados pelos organizadores para ditarem o ritmo da prova. 

Ir na fisio:
Fazer uma massagem ou um trabalho preventivo de alongamento ou postural. 

Educativos, técnica, coordenação de corrida:
São treinos específicos para ajudar na mecânica de movimento.

Treino na pista:
São treinos realizados em uma pista de atletismo com volta de 400 metros. É utilizado com frequência para os treinos intervalados e de circuito.


Leão de treino, treina como leão e corre como gatinho:
É expressão usada para definir aquela pessoa que treina muito bem, mas na prova corre bem menos.


Viciado, endorfina, dopamina:
É o termo usado para definir o atleta que treina todos os dias.


Doido, maluco, cabeça dura, cabeçudo:
É um termo usado para definir o atleta que sai correndo na frente junto com o pessoal da elite e acaba cansando antes dos 3 km, ou mesmo nos treinos, quer definir a prova e os treinos no início.



E pela sua região tem algum vocabulário diferente?
 

Quer aprender como melhorar sua corrida, conquistar resultados duradouros e diminuir as chances de lesões?!
Agora você pode treinar com a metodologia do Professor Ronaldo Dias com a parceria do ON RUN!

Matricule-se agora mesmo no curso Corrida não é só correr e aproveite as condições exclusivas de lançamento
Acesse: acidadeon.com/onrun/curso

Mais notícias


Publicidade