Publicidade

onrun

Atletas devem ter cuidado com corridas muito baratas em 2022

Com a alta geral nos preços, as corridas de rua também devem aumentar. Por isso, os corredores devem ficar em alerta com preços muito baixos.

| ON Run -

Atletas devem pesquisar antes de se inscrever em corridas com valores muito baixos. (Foto: Divulgação).
 

Com a alta geral nos preços, por conta da inflação que em 2021 fechou em 10,06%, com as corridas não poderia ser diferente, os valores das inscrições também aumentaram. Por isso, este ano os corredores vão precisar escolher a dedo quais as corridas que irão participar.   

E é aí que surge também um alerta para golpes. Provas de qualidade duvidosa vão, com certeza, oferecer valores mais baixos do comum. Por isso, recomendamos que você pesquise bem antes de comprar.  

Há um grande risco em pagar valores muito mais baixos que o normal, pois a corrida pode vir a acontecer, mas sendo um evento de baixa qualidade e que deixe a desejar, sem assistência para os atletas ou simplesmente não acontecer. 

Por exemplo, normalmente as empresas gastam de R$ 35 a R$ 40 por atleta em somente três itens: camiseta, medalha e água. Mas mesmo assim, existem outros preços embutidos no da inscrição, que também sofreram reajuste recentemente.

Por isso é necessário pesquisar se a empresa realizadora é séria ou não, pois muitas organizadoras de eventos de corrida já consolidadas podem tentar estratégias para diminuir o valor cobrado do consumidor final, como por exemplo a obtenção de mais patrocinadores.

Mas em geral, em 2022, será raro encontrar um bom evento de corrida com kit com camiseta custando abaixo de R$ 80. Isso com exceção das corridas que contam auxílio de órgãos públicos. Mas quando esse for o caso, haverá um "selo" da lei de incentivo nos materiais de divulgação do proponente.

Para se precaver, o atleta deve pesquisar quem é o organizador do evento, descobrindo o número do CNPJ da empresa no site da Receita Federal. Verifique também a situação cadastral, use o Google para conferir se existem processos contra essa companhia e de que natureza. Além disso, outra dica é acessar as páginas dela nas redes sociais e ler comentários sobre provas anteriores. 


Mais notícias


Publicidade