Publicidade

politica

Filho de Bolsonaro ataca Datafolha e Ibope

Filho de Bolsonaro ataca Datafolha e Ibope. Acompanhe as principais noticias e fique informado sobre tudo o que acontece na sua cidade, no Brasil e no mundo. Notícias sobre cotidiano, cultura, esporte, economia, entretenimento, política e outros conteúdos.

| FOLHAPRESS -

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ), atacou nesta segunda (10) os dois principais institutos de pesquisa do país. Questionado sobre sua expectativa a respeito do resultado de pesquisa Datafolha, cuja divulgação está prevista para a noite desta segunda (10), ele respondeu: "Para mim, Datafolha e Ibope são institutos que deviam ser jogados no lixo. Fui vítima disso em 2016, quando fui candidato à prefeitura [do Rio]. O Datafolha me dava 7% no sábado, tive 14% no domingo. Ou por maldade ou por incompetência, eles nunca acertam. Sempre erram". O deputado deu as declarações após reunião com o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, em Brasília. Pouco antes da crítica, no entanto, ele fez referência à liderança do pai em sondagens eleitorais como um dos argumentos para seguir em campanha mesmo com o afastamento do candidato, hospitalizado desde a última quinta (6), quando sofreu um ataque a faca. "Não vai ser esse tipo de ato criminoso, um atentado contra a democracia e contra um candidato a presidente que lidera todas as pesquisas, que vai nos inibir. Está nas mãos de Deus. Não vou parar de ir para a rua", declarou. Perguntado pela reportagem sobre em que baseia sua convicção de que o pai está na frente nas intenções de voto, já que alega não crer nos resultados apresentados pelos institutos, ele respondeu: "Na minha avaliação é muito maior do que isso. Eles jogam o Jair Bolsonaro para baixo e os outros para cima, quando, na verdade, o termômetro que nós temos para isso, que são as ruas, mostram que a distância é muito, mas muito maior. Tenho a convicção de que ele vai ganhar no primeiro turno".

Mais notícias


Publicidade