Aguarde...

ACidadeON

Política

Opinião sobre Lula e Moro reproduz polarização no país, mostra Datafolha

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (6), 58% dos brasileiros consideram inadequada a conduta de Sergio Moro em conversar com procuradores da Lava Jato. Outros 58% acham que as decisões do ex-juiz (hoje ministro da Justiça) devem ser revisadas.O caso veio à tona após a revelação pelo site The Intercept Brasil de mensagens entre Moro e membros da força-tarefa da operação. Os diálogos aconteceram pelo aplicativo Telegram, entre 2014 e 2019. A reprovação a Moro, contudo, não mudou a percepção dos brasileiros sobre a condenação do ex-presidente Lula, preso desde abril passado em Curitiba. A maioria é a favor da sua prisão, resultado já aferido em pesquisa realizada no ano passado.A opinião sobre Lula, assim como acontece com a aprovação a Moro, pode variar bastante conforme a faixa de renda, região do país e posição no mercado de trabalho. Os mais ricos tendem a defender Moro, enquanto os mais pobres apoiam Lula. Empresários querem que o ministro fique no cargo, desempregados defendem a soltura do petista.Abaixo, veja alguns recortes da pesquisa Datafolha que relacionam Sergio Moro e Lula.Renda Quanto maior a renda, maior o apoio à condenação de Lula. Ao mesmo tempo, mais ricos são os mais favoráveis a que Sergio Moro permaneça no cargo de ministro da Justiça.Entre os que ganham até dois salários mínimos, 51% acham que Lula está preso injustamente. Já entre quem ganha mais de 10 salários mínimos o percentual é de 30%. Quanto a Moro, 69% dos mais ricos desejam que ele continue no Ministério da Justiça, contra 47% dos mais pobres.Mercado de trabalho No recorte do mercado de trabalho, os desempregados e assalariados sem carteira assinada são as categorias que mais se opõem à prisão de Lula, com a maioria considerando que ela foi injusta. Metade dos estudantes também se posiciona em favor do ex-presidente. Por outro lado, a maioria dos empresários acredita que as críticas a Moro não têm fundamento. Para 64% dos entrevistados nessa categoria, eventuais irregularidades cometidas pelo ex-juiz não têm importância diante dos resultados da Lava Jato.Região Enquanto Moro e a Lava Jato têm mais popularidade no Sul e no Sudeste, Lula é defendido pelos nordestinos --56% acham que o petista não deveria estar preso, maior percentual entre as regiões.Já a operação tem melhor avaliação no Sul, onde 60% consideram o trabalho desempenhado ótimo ou bom, e no Sudeste, onde 58% têm essa opinião. Cor No recorte por cor, metade dos indígenas acreditam que a prisão de Lula foi injusta. A maioria dos brancos, por sua vez, é favorável à medida.Indígenas, amarelos e pretos são os que mais classificam a conduta de Moro como inadequada --opinião adotada por metade dos brancos.Avaliação do governoA maioria dos que avaliam positivamente o governo Bolsonaro tendem a apoiar as atitudes de Moro frente à Lava Jato. Para 56% dos que consideram a gestão federal ótima ou boa, eventuais irregularidades que o ex-juiz possa ter cometido são irrelevantes diante dos frutos colhidos no combate à corrupção. Entre quem considera o governo ruim ou péssimo, o percentual é de apenas 10%.O mesmo acontece em relação à conduta de Moro ao conversar com procuradores. Consideraram adequado o comportamento do ministro 53% dos que avaliam o governo como ótimo ou bom, mas apenas 13% dos que o consideram ruim ou péssimo.Quanto a Lula, 81% dos que têm visão positiva de Bolsonaro acham que a prisão do ex-presidente foi justa. Entre os que acham o governo ruim ou péssimo, só 25%.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários

Mais do ACidade ON