Aguarde...

Política

China zera transmissão local do novo coronavírus pela 1ª vez

Ao mesmo tempo, cresce para 34 o número de casos importados no país

| FOLHAPRESS

Coronavírus

A China anunciou que, nas últimas 24 horas, não registrou nenhum caso de transmissão local do novo coronavírus pela primeira vez desde o início da epidemia de Covid-19 no país, há três meses.

Enquanto Itália, EUA e outros países sofrem com o que se tornou uma pandemia, o caso da China mostra o que pode ser conquistado quando medidas rígidas, de cima para baixo, e sem nenhuma dissidência são postas em prática com um único objetivo.

O feito representa uma reviravolta para o governo chinês, que gerou uma grande onda de revolta pública ao inicialmente esconder e gerenciar mal o surto, incluindo punições a médicos que quiseram elevar o grau de alerta e a pessoas que publicaram sobre os casos crescentes da doença em rede social.

Esses erros do início, segundo críticos, permitiram que o vírus se espalhasse de forma descontrolada pela cidade de Wuhan, forçando o governo a impor restrições draconianas de viagem e quarentena a centenas de milhões de pessoas.

A abordagem autoritária, vista por muitos como um experimento brutal sem precedentes, fez com que o país baixasse rapidamente o número de novas infecções a um imenso custo.

O país, porém, não está fora do perigo de viver novas crises. Boa parte da população não ficou feliz com como o Partido Comunista lidou com o flagelo. Dúvidas foram levantadas sobre a acurácia das estatísticas chinesas. E zerar as infecções locais não significa zerar os novos casos.

Autoridades disseram que 34 novos casos foram confirmados entre pessoas que chegaram de outros países, o que mostra como será difícil para a China ou qualquer país manter o coronavírus longe.

Desde o início da epidemia no país, foram notificados 80.928 casos do novo coronavírus e 3.245 mortes.

Em 12 de fevereiro, a província chinesa de Hubei mudou a forma de contar os casos de Covid-19, dispensando testes, e chegou a registrar mais de 15 mil novos casos da doença.

Mais do ACidade ON