Pesquisa Genial/Quaest mostra disputa mais apertada ao Palácio do Planalto Pesquisa Genial/Quaest mostra disputa mais apertada ao Palácio do Planalto

Pesquisa Genial/Quaest mostra disputa mais apertada ao Palácio do Planalto

Pesquisa Genial/Quaest mostra disputa mais apertada ao Palácio do Planalto

A 14ª rodada da pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira, 3, mostra que a corrida ao Palácio do Planalto começa a ficar mais apertada. De acordo com a mostra, O candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, aparece com 44% das intenções de voto no 1º turno, contra 32% do atual presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL).

Na pesquisa divulgada em julho, Lula tinha 45% e o atual mandatário 31%, portanto, eles oscilaram dentro da margem de erro, que é de 2 pp. No entanto, a diferença entre os dois vem caindo e está em 12 pp, a menor da série histórica iniciada em julho de 2021. Em relação a janeiro deste ano, Lula oscilou de 45% para 44% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro subiu 9 pp, de 23% para 32%. Já os outros presidenciáveis, somados, caíram de 19% para 10%.

De acordo com a Genial/Quaest, Ciro Gomes (PDT) continua em terceiro lugar, com 5% das intenções de voto, contra 6% da pesquisa anterior. Na sequência aparecem André Janones (Avante) e Simone Tenet (MDB), com 2% cada, o mesmo porcentual que registraram na pesquisa divulgada no mês passado. Pablo Marçal (PROS) aparece com 1% e os outros concorrentes não pontuaram.

Os votos em branco e nulos somaram 6%, o mesmo porcentual dos indecisos. Mesmo com o avanço de Jair Bolsonaro, se forem considerados apenas o votos válidos, Lula teria 51%, portanto, com chances de vencer a eleição no primeiro turno, considerada, obviamente, a margem de erro de 2 pp para mais ou para menos.

Pacote de Bondades

A pesquisa Genial/Quaest mostra que o pacote de bondades do presidente Jair Bolsonaro, com o aumento do valor do Auxílio Brasil, o aumento do vale-gás e o bônus para caminhoneiros e taxistas começa a surtir efeito na percepção da população/eleitorado.

Uma das consequências é o recuo da avaliação negativa do governo. Na comparação com julho, a avaliação negativa do governo Bolsonaro caiu de 47% para 43%, recuando para o menor nível deste julho de 2021. O recuo se deu entre mulheres, em todas as regiões do País e também em todas as faixas de renda, faixas etárias, níveis de escolaridade e religiões. Além desse recuo, a percepção dos entrevistados de que a economia é o principal problema do País caiu de 44% para 40%, na comparação com o mês passado.

Na análise por região do País, o Nordeste segue como o local onde Lula teria a vitória mais folgada contra Bolsonaro, caso a eleição fosse realizada hoje, com 61% contra 20%. Na região Norte, Bolsonaro teve uma boa recuperação, diminuindo a diferença com Lula para apenas 3 pp. No mês passado a diferença entre os dois nessa região era de 16 pp. Na pesquisa divulgada hoje, Lula tem 40% e Bolsonaro 37% das intenções de voto.

Segundo turno e rejeição

Nas simulações de segundo turno, Lula continua à frente com 51% contra 37% de Bolsonaro. Na mostra anterior, de julho, Lula registrou 53% contra 34% do atual presidente da República. No quesito rejeição, Bolsonaro lidera com 55%, seguido de Ciro com 53% e Lula com 44%. Com relação à pesquisa Genial/Quaest de julho, contudo, a rejeição de Bolsonaro recuou 4 pp, pois estava em 59% e a de Lula subiu 3 pp, pois estava em 41%.

A pesquisa Genial/Quaest foi realizada entre os dias 28 a 31 de julho, com dois mil eleitores de todo o País, acima de 16 anos. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais, para mais ou para menos e o nível de confiança e de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob número BR-02546/2022.

Mais Notícias

Mais Notícias