Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Noticias

Bolsonaro é ovacionado em Marcha para Jesus e fala em problemas de ética

Recebido aos gritos de "mito", ele conclamou a população de pé a ser o "ponto de inflexão para o Brasil ser um dia colocado no lugar de destaque que merece"

| ACidadeON/Ribeirao

Presidente Bolsonaro participa da marcha para Jesus (Foto: Eduardo Anizelli / Folhapress)
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quinta-feira (20), durante a Marcha para Jesus, na zona norte de São Paulo, que o país sofre com problemas de ética, moral e economia.  

Recebido aos gritos de "mito", com escassas vaias, ele conclamou a população de pé a ser o "ponto de inflexão para o Brasil ser um dia colocado no lugar de destaque que merece", depois de dizer ser de comum conhecimento que o país "tem um problema seríssimo de moral, ética e economia".  

"Foi Ele quem nos deu a Presidência", disse nesta quinta-feira de Corpus Christi. Ali estava, enfim, o presidente "de um Estado que é laico, mas ele é cristão".
O presidente foi o primeiro ocupante do Palácio do Planalto a passar neste que é o maior evento evangélico do Brasil, a Marcha para Jesus, idealizado em 1993 pela igreja de Hernandes, a Renascer em Cristo.  

O evento serviu para Bolsonaro renovar seu pacto com os evangélicos, segmento que lhe apoiou em peso na eleição. O presidente, um católico com esposa e filhos evangélicos, investiu na ideia de que ele e o público eram um só.  

Afirmou ainda que os evangélicos "foram decisivos para mudar o país" e que, se era Deus acima de todos, logo depois vinha "a família respeitada e tradicional acima de tudo".  

Aos milhares de participantes Bolsonaro agradeceu a Deus por estar vivo, numa referência à tentativa de assassinato no ano passado em Juiz de Fora (MG).  

Disse ainda estar cumprindo as promessas de campanha e que a população e a classe política precisam acreditar que podem fazer a diferença para a melhoria do país.  Horas antes, ele havia sinalizado sua candidatura à reeleição, em passagem por Eldorado (SP), cidade onde foi criado. 

No palco, o deputado Marco Feliciano (Pode-SP), também um pastor da Assembleia de Deus, disse ao público que no giro pelo interior paulista que Bolsonaro, 64, pegou a mãe, dona Olinda, 92, no colo, e juntos mãe e filhos "cantaram uma canção italiana que só eles entendem".  

Bolsonaro a revelou: "Mamma, Son Tanto Felice". Em português: "Mamãe, estou tão feliz".  

O presidente estava sorridente na marcha, rodeado de aliados como a bispa Sonia Hernandes, da Renascer em Cristo, igreja que idealizou o evento 27 anos atrás. "Pela primeira vez na Presidência o Brasil viu o nome de Deus acima de todos, e a família foi honrada", disse ela.  

O presidente pediu à plateia para "mandar um grande abraço à evangélica Michelle", sua esposa, e ainda fez gracejo com o apóstolo Valdemiro Santiago, da Mundial do Poder de Deus, uma das autoridades políticas e religiosas no palco (o prefeito Bruno Covas também estava e acabou vaiado pela multidão).  

Bolsonaro pegou o chapéu de vaqueiro, uma das marcas de Valdemiro, pôs na cabeça e depois jogou o adereço para o público. Prometeu voltar à Marcha para Jesus no ano que vem, "se Deus quiser".

Você pode ajudar o jornalismo sério

A missão do ACidade ON é fazer um jornalismo de qualidade e credibilidade. Levar informação confiável e relevante, ajudar a esclarecer e entender os fatos, sempre na busca de transformação. E o seu apoio é fundamental. Ajude-nos nessa missão para construir uma sociedade mais crítica e bem informada.

Apoie o bom jornalismo.

Já é assinante? Faça seu login.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Facebook

Mais do ACidade ON