Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Noticias

Senado aprova MP que amplia para R$ 998 valor de saque do FGTS

O texto já passou pela Câmara e agora vai para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PSL); caso seja sancionada, quem já retirou o dinheiro poderá sacar o restante

| FOLHAPRESS

Texto foi aprovado simbolicamente pelo Plenário do Senado nesta terça (12) (Fonte: Agência Senado/Waldemir Barreto)
  
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (12), simbolicamente, a medida provisória com regras para o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e que aumentou de R$ 500 para R$ 998 o valor que pode ser retirado de contas do Fundo.  

O texto já passou pela Câmara e agora vai para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PSL).O relatório aprovado nas duas Casas é o mesmo que saiu da comissão mista de deputados e senadores.  

O texto do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB) estabelece que só poderá realizar esse saque total o trabalhador que tinha um saldo de até um salário mínimo (R$ 998) em 24 de julho deste ano, quando a MP entrou em vigor. Caso a lei seja sancionada por Bolsonaro, quem já retirou o dinheiro poderá sacar o restante.  

Para quem tinha mais de um salário mínimo na conta do FGTS o saque continua limitado a R$ 500. O relator incluiu em seu parecer prazo de 180 dias a partir da sanção presidencial para a retirada de valores residuais de R$ 80.  

O texto aprovado no colegiado permite saque da conta do FGTS caso o trabalhador ou qualquer de seus dependentes tenham doenças raras.O texto também acaba com a multa adicional de 10% sobre os depósitos no caso das demissões sem justa causa.   

O trabalhador pode fazer o saque do dinheiro em lotéricas e caixas eletrônicos.Se o saldo para saque for de até R$ 100, no caso das lotéricas, ele precisa apenas de CPF e documento de identificação com foto. Em caso de valores maiores, é preciso levar o Cartão Cidadão com senha.  

Também é possível fazer o saque nos caixas eletrônicos e em correspondentes Caixa Aqui, com CPF e Cartão do Cidadão com senha.Com o saque dos R$ 500, o governo estimava que R$ 40 bilhões seriam injetados na economia.   

Mas, em vez de usar o dinheiro no consumo, grande parte dos trabalhadores com direito ao saque deve usar esse dinheiro para pagar dívidas.Pesquisa da XP Investimentos em parceria com o Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) mostra que 4 em cada 10 consumidores deve usar o dinheiro para esse fim.   

A pesquisa ouviu mil entrevistados.Segundo especialistas, quem pretende usar esse dinheiro para pagar dívidas deve negociar o total devido com o credor.Apenas em caso de dívidas quitadas e investimento de reserva garantido é que o trabalhador deve usar o saque para consumo, apontam os especialistas.

Você pode ajudar o jornalismo sério

A missão do ACidade ON é fazer um jornalismo de qualidade e credibilidade. Levar informação confiável e relevante, ajudar a esclarecer e entender os fatos, sempre na busca de transformação. E o seu apoio é fundamental. Ajude-nos nessa missão para construir uma sociedade mais crítica e bem informada.

Apoie o bom jornalismo.

Já é assinante? Faça seu login.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários

Mais do ACidade ON