Publicidade

noticias

Ribeirão-pretana se apresenta no The Voice Kids

Um talento promissor da cidade, Gabriela Girio não avançou no programa, mas fez bonito e vai tentar de novo

| ACidadeON/Ribeirao -

 

 

 

 

 

De pai para filha: O saxofonista Wanderlei Henrique acompanha a filha cantora, Gabriela Girio: orgulho! (foto: Matheus Urenha / A Cidade)

A ribeirão-pretana Gabriela Girio, de 15 anos, realizou um sonho ao subir ao palco do The Voice Kids, da Rede Globo. Talento promissor, ela comemora ter sido selecionada entre mais de 30 mil inscritos, mesmo não tendo seguido em frente na competição.  

Gravada em novembro do ano passado, a apresentação de Gabriela foi ao ar no último domingo, na seletiva às cegas da terceira temporada do programa. Mas a batalha para chegar lá começou bem antes. "Esta foi a terceira vez que me inscrevi. Nunca imaginei que chegaria até lá. Me sinto vitoriosa! Foi chocante, mesmo sem nenhum jurado ter virado a cadeira. Ninguém imagina qual é o caminho percorrido. Só a gente sabe como é difícil", disse à reportagem.  

Gabriela se inscreveu pela primeira vez em 2015, mas não teve o vídeo selecionado. Em 2016, chegou até a seletiva regional, em São Paulo, mas não passou para a audição no Rio de Janeiro. No ano passado, finalmente veio o telefonema da produção veio, três meses após a inscrição. "

Preparação  

A garota teve pouco mais de um mês para se preparar, ensaiando com um playback do arranjo enviado pelo programa. Escolheu a música "Tempos Modernos", de Lulu Santos, em conjunto com os pais. "Pensamos em uma música muito conhecida e que tivesse ao mesmo tempo sonoridade e uma mensagem. Essa letra se encaixa em qualquer época", comenta, com a mesma maturidade com que respondeu à pergunta de Cláudia Leitte.  

A semana de novembro que Gabriela passou no Rio de Janeiro com a mãe, Kenya Girio Henrique, vai ficar para sempre em sua memória. "Foi maravilhoso! Ter contato com todo mundo que está no programa, conhecer os participantes, ir ao Projac...", detalha.

Palco  

Ainda mais inesquecível foi o momento em que subiu ao palco e, confiante, interpretou a canção. "É incrível ver aquelas luzes, a plateia, um verdadeiro sonho...", derrama-se. "Estava muito ansiosa, mas subi segura porque tinha ensaiado bastante e ia dar o melhor de mim. Minha apresentação foi fruto do que ensaiei, do que plantei nessa caminhada", acrescenta.  

Claro que primeiro ficou desapontada pelos jurados não a terem escolhido, mas isso logo foi superado pelos comentários acolhedores deles. "Fiquei com o coração cheio, me senti abraçada por eles e percebi que todos já passaram por algo assim. É muito confortante", afirma. De Simone, da dupla com Simaria, ela ouviu: "Força, não desiste ... Segue tá?". Ela vai obedecer. "Vou me inscrever de novo, agora para o The Voice Brasil, já que farei 16 anos em julho", afirma. 

 

Surpresa e gratidão

 

Ontem, Gabriela ainda estava eufórica com a repercussão de sua performance no programa, que a família assistiu toda reunida em sua casa. Logo em seguida começaram as ligações e mensagens parabenizando-a. Diz que ficou surpresa e agradecida com as reações dos professores e colegas da Escola Viktor Frankl e de todos os seus amigos.

"Todos falando e dando parabéns, dizendo que representei Ribeirão. Está impossível de responder a todas as mensagens do celular e do Face", diz ela, que publicou um agradecimento geral em seu perfil na rede social. "É muito gostoso receber esse carinho e atenção. De um dia para o outro todo mundo quer falar com você e lhe enviar energia positiva", comemora.

 

Pai coruja  

Filha do saxofonista Wanderlei Henrique, Gabriela cresceu ouvindo música incentivada por ele. "Sempre cantei, desde que me conheço por gente", diz ela, que já canta em casamentos, participa da Alma (Academia Livre de Música e Artes), tem um canal no YouTube e agora é um dos vocais do sexteto Datz Jazz Band. Para o pai, está sendo "muito emocionante" assisti-la trilhar o caminho que ele próprio escolheu. "Estou me acostumando com [vê-la] no palco, mas quando a vi na TV, com aquela super produção e sendo vista pelo Brasil inteiro, fiquei muito orgulhoso", diz ele. "Com 15 anos eu estava tentando aprender música. Ela já está em outro estágio", acrescenta, orgulhoso.

 

Mais notícias


Publicidade