Há 30 anos no São José, Seu Hélio diz que vizinhos são a família dele

O lugar preferido no bairro do aposentado é o Centro Comunitário

    • Jornal A Cidade
    • Jacqueline Pioli
Weber Sian / A Cidade
Hélio Nogueira, 70 anos, mora no São José há 30 anos. (Foto: Weber Sian / A Cidade)

“Meus filhos são meus vizinhos. A amizade que eu construí com os moradores do bairro São José ao longo desses 30 anos que estou aqui não troco por nada. Tenho amigos de norte a sul, leste a oeste. Até os cachorros me conhecem no bairro. Isso, pra mim, é uma riqueza. Não preciso de dinheiro. Ter essas pessoas do meu lado já me gratifica muito.

Sou nascido e criado em Ribeirão Preto. Antes de vir pro São José, eu morava no Jardim Paulista. Tive que vender a casa lá por causa de dinheiro e um vereador da época, que era meu vizinho, conseguiu a casa pra mim aqui no bairro. Desde então moro na rua Expedicionário José Calzzani.

Quando cheguei aqui, morava muita pouca gente no bairro. Ainda não tinha o bairro dos Bancários nem o Manoel Pena. Era só o Recreio das Acácias. As casas eram sem muros. Algumas ruas ainda não tinham asfalto. Aqui, onde hoje é a Associação dos Moradores, era um brejo.

Eu trabalhava como pintor de paredes. Pintei muitas casas do bairro, nem sei dizer quantas.

Aos poucos, comecei a me envolver com os trabalhos pela comunidade. Quando eu vim pra cá, não tinha muita amizade, aí fui me entrosando.

Os líderes do bairro na época, que fundaram a Associação dos Moradores, moravam na minha rua, o Washington e o Renê Andrade, que já é falecido. O Renê conhecia desde pequeno. Foi por causa deles que comecei a me envolver nesses trabalhos comunitários.

A partir daí, fui diretor e presidente da associação. Isso faz uns 15 anos, mas nunca deixei de participar dos projetos daqui.

Hoje, sou o responsável por distribuir o leite do programa do governo Viva Leite para as famílias cadastradas do bairro. Acho que quando você pode fazer algo para facilitar a vida do outro vale a pena.

Por isso, tenho um carinho especial, sou apaixonado e estou nesse Centro Comunitário até hoje. É daqui que partiram muitas coisas boas para o bairro. Ele mudou muito nesses 30 anos e para melhor.

Venho aqui todos os dias. Em vez de ficar andando por aí, sem ter o que fazer, venho pra cá, converso com um, com outro e assim vou passando o tempo.

Desse bairro só saio se for pra ir pro cemitério Bom Pastor. Já tenho um apartamento me esperando por lá”.


O aposentado Hélio Nogueira, 70 anos, mora no São José desde o início do bairro, há três décadas.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.